Loading...

Os 5 lugares mais estranhos onde já dormimos durante viagens

Nem só de hotel, albergue, guesthouse ou quartos coletivos vive o viajante! Parte da aventura é experimentar locais diferentes, inclusive para dormir! Abaixo nossa lista com os locais mais “exóticos” em que já dormimos durante nossas andanças por este mundão. Gostamos de todas as experiências. 


 Foi +- assim que dormimos no aeroporto de Paris! (foto:getty images)


1- No aeroporto de Paris

Uma cidade tão linda e charmosa.......... e a gente resolve dormir no aeroporto! Bem, neste caso não era nossa intenção, mas acabou sendo a solução. Como nosso vôo no dia seguinte era muito cedo e naquele horário não teria nenhuma opção de transporte público ativa para ir até lá (metrô ou ônibus), nossa solução visando economia foi ir até o aeroporto de metrô na noite anterior, para não ter que bancar um táxi em euros, numa distância enorme e em bandeira 2, já que seria de madrugada. (pode parecer muquirana, mas quem já fez viagem de longa duração no exterior sabe que tem que economizar, senão o orçamento total desanda!).

Fomos achando que teria um certo entretenimento no aeroporto para passar as horas, mas que nada! O aeroporto em questão era o Paris-Orly, e ele fechava de noite e ficava totalmente vazio, então realmente só nos restou a opção de achar um canto e dormir! 
 
Esta saga completa, inclusive em busca de moedas para conseguir comprar nosso JANTAR em uma das “vending machines” do aeroporto, (afinal a parte de alimentação do estava toda vazia e fechada!) eu conto neste post aqui. Mas não estávamos sós no perrengue: um grupo de japoneses também dormia por lá! No mínimo é uma história para contar aos netos no futuro, e para dar muita risada! ;-)
 
Mais sobre Paris, acesse estes posts.

 Aeroporto fantasma, tudo vazio...

Fachada do aeroporto à noite
  


2- Numa “casinha de sapê” em plena savana africana

Tudo bem que a casinha era de alvenaria e portanto bem protegida, mas se não fosse umas cercas eletrificadas ao redor, nós estaríamos literalmente dormindo junto aos leões africanos! Minha mãe se preocupou um monte quando eu disse que iríamos nos hospedar dentro do Kruger Park, uma Reserva Natural de Vida Selvagem, mas fato é que é bastante seguro.

O tal do teto de palha no estilo africano é que dá uma rusticidade à hospedagem, e às vezes esconde alguns “segredos”, como morcegos ou outros animais voadores ou de "alta aderência". Costumo dizer que o momento de maior medo na áfrica foi justamente ter que dormir neste quarto, e ao olhar para o teto acima da gente... lagartixas! (o bicho que mais tenho arrepio neste mundo! Não é medo, é meio nojo, e pânico dela cair em cima de mim e andar no meu corpo... #neuras).

Ia ficar meio ridículo (e até perigoso) sair no meio da noite com uma lanterna para ir até a recepção e pedir para trocar de quarto, além de que seria frescura demais, e iam rir da nossa cara! Afinal, vai para a áfrica, está num local cheio de elefantes, leões, leopardos, búfalos, hienas e vários outros animais carnívoros e de grande porte, e vai se preocupar com lagartixas!? Encarei o medo e deixei o cansaço do dia dominar o meu corpo, e apaguei na cama, realizando meu ato máximo de CORAGEM e OUSADIA ao dormir com as bichinhas lá dentro. Ainda bem que nenhuma caiu em cima da gente, mas acordamos sim com o barulho de uma cigarra grandona, bem em cima do travesseiro do marido, ou seja: na nossa cara! ...coisas da África! (PS: em teoria esta cigarra estava na nossa varanda, e o quarto tinha tela anti-insetos.... mas ela entrou...)

Nossa estadia foi nos Bangalôs ("Bungalows") do camping Skukuza e do Satara. Se clicar nos links, ao final deles pode clicar em "Tariffs" (tarifas) e até efetuar sua reserva, o site é seguro e funciona direitinho! (recomendo também o camping Lower Sabie)

Leia mais sobre Safári no Kruger Park.

 Nosso bangalô e o camping (que fica quase todo no escuro à noite)

 O teto em estilo africano
 Esta era a cerca que nos separava do resto dos animais!



3- Em um hotel-barco (“botel”) em Praga

Não pense aqui caro leitor que era um quarto bonito, amplo e bem decorado como num navio de cruzeiro, nada disso. Era um barco hotel, com suas devidas proporções (reduzidas). Tudo super apertadinho mas tentando ser funcional, inclusive o banheiro anexo ao quarto, com certa dificuldade de ventilação. Mas enfim, foi uma experiência super legal, pois algumas coisas dessa estadia NÃO TEM PREÇO! 

O "botel" (bote-hotel) que a gente ficou se chama Florentina, e dá para ver e reservar pelo Booking, clicando aqui. ;-)

Pontos altos do hotel-barco:

- preço baixo, e no coração da cidade, atracado em pleno Rio Vlatva no centro histórico, a 1 ponte de distância da Charles Bridge, a mais famosa da cidade! Era descer do barco e ir a pé para quase todo lado.

- a vista privilegiada da região do Castelo de Praga, no alto do morro, na outra margem do rio! De dia ou de noite, é um cartão postal da cidade, lindo de ver, e ainda mais relaxando numa espreguiçadeira ao ar livre, na parte superior do barco.

- acordar com grupos de cisnes brancos nadando calmamente ao lado da nossa janela, que estava só um pouco acima do nível da água, então a gente ficava realmente "cara-a-cara" com estes animais majestosos.

- almoçar observando o vai-e-vem das embarcações pelo rio... Já que o hotel todo dia oferecia um almoço bem gostosinho, com menu e preço fixo que incluía algumas comidas típicas, e com um valor super acessível, mais barato que em restaurantes da cidade.


Enfim.... se for ficar poucos dias na cidade, vale totalmente a experiência. Para quem vai ficar muito tempo, recomendo uns dias lá e depois trocar para um hotel, pois a longo prazo o espaço reduzido pode pesar um pouco na qualidade da estadia.

Mais sobre Praga? Leia algumas Curiosidades da cidade.

 O "botel" em Praga!



 No convés do navio, a vista privilegiada do rio e do Castelo de Praga



4- Num quarto de pedra na Capadócia

O grande charme de ir até a Capadócia também reside na experiência de dormir em um quarto cravado no meio de uma rocha, ou visitar lugares assim. Tem vários hotéis e pousadas que oferecem estas opções, em várias faixas de preço. Ou então fazem quartos encostados na rocha (não dentro), mas todo feito de pedra, inclusive o banheiro. Foi num desses que ficamos, e posso dizer uma coisa? Dava a impressão que dormir lá seria meio “hostil”, mas nosso quarto era hiper aconchegante! Foi uma das melhores estadias na Turquia.

Era muito bacana abrir a porta do nosso quarto, que ficava acima do nível do chão, e olhar para aquelas formações rochosas super exóticas ao redor, realmente demais! Ah! Não precisa se preocupar com a temperatura, os quartos possuem calefação eficiente, e ficam muito quentinhos no inverno (fomos nesta estação). No verão, as pedras se encarregam de deixá-lo fresco, ou tem a opção de ligar o ar condicionado. Outra ironia: lá no meio das rochas foi onde tivemos a melhor conexão wi-fi durante nossa estadia pela Turquia!

O hotel que a gente ficou foi o The Dorm Cave by Travellers, e agradou muito! Com calefação quentinha (para o inverno) e ar condicionado (para o verão), tinha também internet wi-fi no quarto e excelente café da manhã! (além de agendarem os passeios e buscarem no aeroporto) 

Veja nossos outros posts sobre Turquia e Capadócia.




 Era só abrir a porta do hotel para ter uma vista assim!



5- No espaço super reduzido de um hotel cápsula em Tokyo

Quem dormiu lá foi só o Hiro, pois não fui nesta viagem até o Japão. Ele já foi para lá 5 vezes, sendo que na última delas já estávamos casados, mas como ele foi junto com um programa oferecido pelo Consulado do Japão, não tinha como “carregar junto” a esposa querida (eu!), já que teria um roteiro fixo e totalmente pago para este grupo, e não dava para incluir ninguém de fora.


Mas enfim.... ele foi e experimentou, eu não! :-( Dormiram todos em um dos curiosos “hotéis cápsula”, chamados assim porque, bem, como explicar... a pessoa dorme num espaço que parece uma cápsula! As malas e pertences maiores são deixados em um armário trancado do lado de fora, o banheiro é coletivo, e o espaço para dormir é reduzido, dá para ficar no máximo sentado lá dentro. Mas tem as comodidades necessárias, como TV, abajur, ventilação, mesinha, cortina para fechar o vidro e manter a privacidade, etc. Deve ser um bocado estranho, mas acho que é uma coisa cultural e imperdível para quem vai até o Japão. 


Estes hotéis são a síntese da necessidade de economia de espaço que existe no Japão (bem como em quase toda a Ásia), ao mesmo tempo que demonstram toda a tecnologia e praticidade que os japoneses são capazes de criar para se virar bem nestes espaços reduzidos. Resume a filosofia de “pouco espaço x grandes soluções”. Experimente! Custa cerca de 50 dólares por noite, o que para padrão de hospedagem no Japão é bem em conta.

Este hotel cápsula é apenas uma das opções em Tokyo, pois existem vários, então precisaria procurar conforme a região que mais lhe interessa na cidade. Porém são todos bem parecidos, variando um pouco os serviços extras. As malas ficam do lado de fora num "locker", e geralmente a ala de homens e de mulheres é separada uma da outra.

Alguns posts do blog sobre o Japão.





É pequeno, mas tem tudo que precisa! Tecnologia japonesa para resolver espaços reduzidos.



E mais:

Outro lugar que já dormi foi dentro do trem, na rota de Salzburg para Praga. Embora não tenha sido uma noite inteira de sono, foi um cochilo bom em um vagão de trem que por causa de sua configuração privada em cabines e com bancos compridos favorecia dar uma esticada. Para mais info acesse o site da ferrovia Tcheca (versão em inglês).

Na Europa e em vários outros locais do mundo é bem comum viajar em TRENS NOTURNOS, que possuem cabines fechadas com camas mesmo, pois geralmente são trajetos extensos e que duram a noite toda, e aí o trem vira sua hospedagem. Muita gente curte esta opção por causa disso: economiza uma noite de hotel, ao mesmo tempo que se desloca para o próximo destino. Mas isso funciona para quem consegue dormir bem, senão depois fica cansado e é o dia seguinte perdido!

 A cabide que dava para fechar, e eu ainda sentada antes do cochilo

E você leitor e viajante, qual o lugar mais estranho que já dormiu? Compartilhe sua experiência (boa ou ruim) nos comentários abaixo.


E mais:
Siga o blog no Facebook
Acompanhe as fotos no Instagram


Tokyo 8509037570507240941

Postar um comentário

  1. Gostei do post! Nós já dormimos em cabana flutuante (Kanchanaburi), terraço de hostel (Cingapura), trem indiano em condições precárias, cabana só com água salgada bombeada do mar...

    Inspirado no seu post, acho que vou escrever no nosso blog tbem!

    ResponderExcluir
  2. Legal Douglas, alguns lugares bem "estranhos" mesmo hein, loucuras assim geralmente são na época de mochilão na juventude!
    Se fizer um post parecido e puder linka para cá tb. ;-)
    Até!

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Simone, ja tive que dormir em aeroporto (NY), ja dormi em trem, obvio, mas de todas as tuas dormidas, acho que a unica que eu nao encararia seria a capsula japonesa. Claustrofobia total!!
    Otima ideia do post!!

    ResponderExcluir
  4. TAmbem já dormi no aeroporto de Milão, uma noite terrivel os bancos todos tinham braços e não dava para deitar senão no chão, o aeroporto era deserto nem uma dessas maquinas de comida havia foi definiditvamente o pior local. Tambem dormi num vagão entre Praga e viena local super apertado mas valeu o preço e uma noite bem dormida. o local mais incrivel foi numa tenda de acamapamento nomada arabe no meio do deserto do Sara foi LINdooooo e gelado tb

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post!
    Eu ainda não dormi em lugares tão diferentes além do aeroporto e trem, mas adorei a tua hospedagem na África e confesso que não sei se teria coragem. Com relação às lagartixas, tudo bem, eu só não tenho medo como tenho 2 na minha casa para comer as aranhas, porque dessas SIM eu tenho medo. E te garanto uma coisa: não existe o risco delas caírem em cima da gente. Tenho anos de experiência com elas e nunca aconteceu. Hahahaha
    O barco e o quarto de pedra estão na minha wishlist, mas a cápsula eu passo. Eu tenho certeza que não ia me adaptar e ia me sentir mal e psicologicamente sufocada. Fiquei em pânico só olhando as fotos.
    Esses dias eu vi em algum lugar na França, não lembro onde, um hotel que é no meio da mata e todos os quartos são umas bolhas transparentes, tipo uma barraca, só que com toda a estrutura de um quarto, com banheiro e tudo mais. O legal desse é a sensação de liberdade e poder ver tudo o que acontece do lado de fora. Em um assim eu também gostaria de ficar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Legal luffi, este do Saara parece ser demais! E tb detesto aeroporto com bancos com braços, pois nem sequer sentar e esticar as pernas que ficam inchadas do avião dá!

    Mariana: vou pesquisar este hotel bolha na França por curiosidade.
    E sobre as lagartixas, te digo uma coisa: as vezes elas caem sim! Uma vez caiu no braço da minha avó e andou sobre ele, e deu tipo uma micose onde ela passou. E outra vez vi uma caindo da parede (na vertical) sobre a pia, assim do nada! É perigoso! Hahaha

    ResponderExcluir
  7. Ola. Eu tbm ja andei dormindo em uns lugares meio estranho. Por coincidencia o ultimo foi em Paris no Charlles de Gaulle. E as cadeiras sao horriveis =/ Volto a Paris amanha 31/03 mas nao é escala, ficarei por la alguns dias e depois retorno a Portugal ;) Eu sou daquelas que se tiver sono durmo em qualquer lugar mesmo hehe

    ResponderExcluir
  8. Anônimo30/3/13

    Já dormi em aeroporto e trêm tmb, mas acho que o mais estranho foi em um hostel que era um antigo convento em Florença, era muito parecido com filme de terror, dava medo!

    ResponderExcluir
  9. Adorei!! Super bacana este post, fiquei com vontade do barco em Praga e do quarto de pedra na Capadócia (mesmo que a novela Salve Jorge tenha me deixado de bode rsrs...) Bjs Simone!

    ResponderExcluir
  10. Anônimo13/4/13

    Estou AMANDO o blog...
    Gostaria de saber se você viaja por conta ou por agências...?
    O que você indica para iniciantes?
    =D

    ResponderExcluir
  11. Obrigada!
    Nós viajamos sempre por conta, nunca utilizamos tour de agência. Faço assim porque gosto mais, dá mais liberdade e também é mais econômico. Sendo assim, eu recomendaria que viaje por conta é claro! (meu gosto e opinião pessoal)

    Se é iniciante procure começar por países fáceis como Estados Unidos ou nos da Europa. São lugares bem estruturados para turistas, com boa segurança e transporte eficiente, então é relativamente fácil viajar por lá (embora existam sim vários "segredinhos" mais específicos que conto aqui no blog!) ;-)

    ResponderExcluir
  12. ola!!!
    Adorei a ideia do botel, hotel barco, em Praga.
    Me passe o nome do botel que vcs ficaram!!!
    bjussssss


    Day

    ResponderExcluir
  13. Oi Day! Vc tá mais do que certa em perguntar, que falha minha não ter citado o nome! (Depois vou complementar no próprio post)

    O botel (hotel-bote) em Praga se chama Florentina e o link é o www.florentinaboat.cz/en, ou pelo site de reservas do Booking => http://www.booking.com/hotel/cz/florentina-boat.pt-br.html
    ;-) É uma experiencia legal, com ótima localização mesmo! Só que é apertadinho viu! ;-)

    ResponderExcluir
  14. Obrigada, Simone.
    Valeu pela dica!!!
    bjusss

    ResponderExcluir
  15. Anônimo29/3/15

    Super curioso os locais, espero um dia poder dormir em algum destes também!

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Página inicial item

Pesquisar no blog

Reserve seu Hotel

Celular no Exterior

RECEBA NOSSOS POSTS

Loja Viagema

Curta no Facebook

Leia Também