Loading...

Salzburg Card e passeio na Montanha Untersberg (Alpes Austríacos)



A montanha Untersberg vista de longe

Quando optamos por comprar o Salzburg Card queríamos comodidade e um pouquinho de economia, pois se considerássemos o preço da entrada dos locais que queríamos visitar sairia mais em conta com o cartão do que pagar cada uma individualmente. No final o "lucro" foi ainda maior, pois resolvemos visitar a Montanha Untersberg, uma atração sugerida no folder do cartão e fora da cidade, que não estava nos nossos planos e era a mais cara de todas, mas com o cartão se tornava gratuita! Achamos interessante a idéia de subir numa montanha, fomos fazer o passeio e não nos arrependemos!

Custo-benefício: na época o card custou 22 euros (out/2010), sendo que só o ticket do teleférico para subir e descer custaria 19 sem o cartão. Os outros 3 euros aproveitamos muito bem também, visitando a Fortaleza da cidade, o Palácio Mirabell, o Palácio Hellbrunn, o Salzburg Zoo e 1 museu/casa do Mozart. Rendeu né? Conclusão: super economia e aprovado, o Salzburg Card vale a pena!


Os preços em 2012 subiram um pouco e são:
25 euros - para 24h
34 euros - para 48h
40 euros - para 72h
Este valor inclui transporte ilimitado por toda cidade e até a área da montanha também (muito embora a graça de Salzburg esteja em percorrê-la caminhando!) ;-) #ficaadica

O que fizemos foi comprar o passe para 24h/1 dia, e deu tempo de fazer todas estas atrações citadas acima, já que a cidade é pequena e não se perde muito tempo com deslocamentos. 

Como usar o cartão: você opta pela quantidade de dias que deseja, paga a taxa e eles lhe dão um cartão durinho de material similar a um cartão de crédito. Você deve escrever com caneta atrás do cartão o seu nome completo, data e horário da entrada na primeira atração que visitar, e partir daí as horas "correm" de acordo com o prazo de validade que optou. O cartão não vence à meia-noite do dia inicial de utilização como alguns outros! (ou seja: você pode iniciar o uso no final da tarde, e usufruir até no dia seguinte no mesmo horário)

Através deste link é possível comprar online o Salzburg Card, embora isto não seja exatamente necessário, pois é muito fácil comprar na cidade ao chegar, nos postos de informação turística ou diretamente na recepção do hotel, como foi nosso caso.


Sobre o passeio pela Montanha Untersberg:

COMO CHEGAR
A montanha fica fora da cidade de Salzburg, na província de Grodig, que fica pertinho, somente 16Km de distância. O ônibus da linha 25 chega até lá, e não precisa se preocupar (se for direto) pois é o ponto final e todos tem que descer ali.
 Entrada do cable-car (teleférico)

A MONTANHA
Esta montanha é a mais alta da região de Salzburg e arredores, e parte dela fica na Aústria e outra no sul da Alemanha, servindo basicamente como divisa na região. No lado da Alemanha, como parte desta cadeia montanhosa está a “Eagle’s Nest”, ou “Ninho do Gavião”, que era uma casa de férias/resort de Hitler no alto da montanha, e hoje figura como local de visitação e atração turística.
Porém, o lado que visitamos é o austríaco, cujo pico pode ser alcançado por trekking ou via cable-car, para os mais sedentários e com pouco tempo como nós! A vista lá de cima é da cidade de Salzburg, região dos lagos e outras comunidades ao redor.

  
DADOS TÉCNICOS
O cable-car (teleférico) leva 9 minutos para subir, que passam rapidinho pois a gente se perde no tempo apreciando a paisagem. A distância horizontal percorrida é de aproximadamente 2,5Km.  Já em termos de altura, a gente sai da altitude 456m para chegar no mirante/pico de Geiereck, a 1776 m de altura, ou seja: uma subida de 1300m!

Na estação de saída do teleférico tem uma recepção, e no hall se forma uma fila para esperar seu horário de embarcar (a cada meia hora- em hora cheia e aos trinta minutos). Lá tem também uma pequena lanchonete, um mapa da montanha com as indicações climáticas da região naquele momento (se tem neve, neblina, chuva, temperatura..) e também um painel expondo os cabos de aço que irão sustentar o teleférico até lá, comparando sua espessura com as de outros cable-car. São cabos muito grossos, para resistir a amplitude do percurso e peso da cabine, que transporta até 50 pessoas por vez. Não pegamos fila, entramos no primeiro horário disponível após chegarmos no local.
  
  
A SUBIDA

Tudo tranquilo, a cabine não foi muito cheia, não trepida e vai em velocidade constante. Deu para ficar se movimentando lá dentro de um lado ao outro para apreciar e tirar fotos. Tem bancos só nas 2 extremidades e a maioria vai em pé mesmo. É acessível para cadeirantes. Quando chega perto de uma torre de sustentação bem lá em cima a gente acha que vai acabar, mas não! A partir dali tem uma parte quase horizontal no meio de um vale da montanha, é uma delícia! 


 
 As cores do outono na vegetação da montanha
 
Lá em cima tem um mini-museu com explicações sobre o local, uma lanchonete, e no ponto mais alto um crucifixo. A partir dali os mais aventureiros também podem iniciar uma caminhada/trekking por toda a montanha, observando algumas trilhas e pontos de pausa, que estão expostos num mapa lá em cima.

NO TOPO

A partir do lugar onde o cable-car pára não é preciso caminhar muito para chegar ao pico em si, deve ser uns 500m no máximo. Como é de se esperar, no alto de montanha é sempre frio, e quando subimos marcava 3 graus (era outono), então é bom ir com roupas quentes.
Fomos de manhã, e além do frio estava bastante neblina também, porém a névoa estava na altura do solo, o que nos permitia enxergar por cima dela para o horizonte e o céu, mas infelizmente não dava para ver as outras montanhas e vilas lá embaixo. De qualquer forma adoramos, pois o efeito visual estava lindo, era literalmente um “mar de nuvens”, como se pudéssemos caminhar sobre elas. Como nunca havíamos estado em situação similar, e ainda em contraste com um céu tão azul como estava, achamos maravilhoso, com uma aura meio divina até (!!), e não nos arrependemos de subir. Porém ficamos pouquinho lá, já que a visibilidade não ia muito além daquilo, e não estávamos interessados em fazer trekking. Descemos no próximo teleférico que passou dali a exatos 30 minutos, e isso nos permitiu aproveitar o resto do dia visitando as outras atrações da cidade e que faziam parte do Salzburg Card.
 


A DESCIDA

É meio assustador a passagem do cable-car ao ladoda torre de metal de sustentação, parece mesmo que vai bater, tanto que teve uma criança alemã que chegou a gritar de susto/medo um pouco antes! Passa agarradinho, mas obviamente é bem calculado e não tem como bater. E é muito legal após passar esta torre, quando entra em declive mesmo, e dá para avistar todo o vale e as cidadezinhas. Enfim, é um passeio para quem curte montanha, natureza e belas vistas.


 Será que vai bater na torre??? É claro que não! Mas passa por um triz...
 


Após chegarmos “em terra” novamente andamos um pouquinho pela cidadezinha para ver as casinhas típicas da região  e uma igrejinha muito bonitinha e charmosa que tinha na vila, e em seguida rumamos novamente para o ponto de ônibus, para voltar para Salzburg e prosseguir nos passeios de nosso segundo e último dia na cidade.

 
  
Mais dicas e informações:

Para saber mais sobre descontos em cidades da Europa acesse nosso post PASSES DE DESCONTO, lá tem tudo detalhado. 
E se quer economizar mesmo ao viajar pelo Velho Continente, leia o post PASSAGENS AÉREAS BARATAS! ;-)
Salzburg 4558881347532716703

Postar um comentário

  1. Parabéns pelo post...Estaremos visitando a Áustria, Alemanha e República Tcheca em maio e incluímos suas dicas no nosso roteiro - www.viagensevivencias.com.br

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por comentar, que bom que gostou do post e os ajudou! Também dei uma olhada em seu blog e curti.
    abraço

    ResponderExcluir

emo-but-icon

Página inicial item

Pesquisar no blog

Reserve seu Hotel

Celular no Exterior

RECEBA NOSSOS POSTS

Loja Viagema

Curta no Facebook

Leia Também