Loading...

Europa ou Estados Unidos? Descubra qual combina mais com seu estilo!

Você juntou seu suado dinheirinho e está pensando em realizar o sonho de fazer uma viagem internacional... mas para onde? Se essa dúvida ronda sua cabeça, este post é para você! Não vou dar respostas definitivas, afinal é uma questão de gosto e isso é relativo, mas tentarei explicar um pouco das “características” dos 2 lugares, para que cada um possa decidir baseado no seu orçamento e no tipo de coisas que gostaria de fazer e de visitar.

Outra coisa: claro que usarei uma certa generalização para descrever (afinal o post tem que focar em algo), mas sei que existe praias, natureza e outros tipos de turismo nos 2 lugares é claro! Mas vou considerar que numa primeira (e talvez única) viagem na vida de um brasileiro, se fosse para escolher, provavelmente uns 9 entre 10 cogitariam entre as principais capitais ou cidades mais conhecidas e renomadas (Paris/Londres/Roma... Nova York, Miami, Las Vegas...), que oferecem mais atrações do que cidades menores por exemplo, e é nessas que o texto vai se basear.


Segue o cabo de guerra EUROPA X ESTADOS UNIDOS ;-) 
(lembrando que a idéia aqui não é dizer que uma é melhor do que a outra, e sim mostrar algumas características gerais de cada opção, para ajudar na escolha do destino mais adequado)


# EUROPA
Considerando as principais capitais e/ou as cidades + visitadas: Paris, Roma, Milão, Lisboa, Madri, Barcelona, Londres, Berlim, Amsterdã...

É para quem gosta de:

- Arte (pintura, escultura) e design. E isso se reflete em uma infinidade de: MUSEUS! (além de tantas outras interações e obras dos artistas pelas cidades). Para quem gosta, é impressionante ver ao vivo trabalhos de Miró, Dali, Picasso, Van Gogh, Matisse... ou Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rembrandt, Goya... Quanto ao design também, tem muita referência visual e lojas com produtos e mobiliário top.

- Arquitetura mais antiga, de vários períodos e estilos. Construções mais baixas (poucos andares), praças enormes com fontes majestosas, pontes charmosas com postes de metal e tantas outras “ornamentações” e mobiliário urbano, que definem a cara de cada cidade e as tornam tão diferentes e charmosas. Barroco, gótico, medieval, art nouveau, art deco, modernismo... tem de tudo por lá, afinal foi por aquelas bandas que surgiram a maioria destes movimentos artísticos/arquitetônicos.

- História. Sabe aquelas aulas da escola sobre os romanos, os gregos e etc? Esses povos estavam na Europa, e até hoje se vê as fortes influencias destas antigas potências por toda parte, seja na área de engenharia, entretenimento , artes, planejamento urbano ou arquitetura. Nomes como Napoleão Bonaparte, Joana Darc, Rainha Vitória e Júlio César são apenas alguns, e dá para estar em alguns lugares onde outrora viveram ou estiveram estas pessoas. Outros nomes não tão bonitos e dignos como Hitler por exemplo, também marcaram presença por lá e deixaram suas marcas e sequelas, em muitos lugares que hoje em dia podem ser visitados. História viva por todos os lados.  

- Conhecer mais sobre diferentes culturas, sendo que muitas delas ajudaram a formar o que hoje é o Brasil, através da imigração principalmente de italianos, espanhóis, portugueses. Visite estes países e entenda um pouco essa raiz latina e mais expressiva que tem nosso povo, em contraste com a “frieza” e maior reserva das pessoas da Inglaterra, dos alemães e do leste europeu. Lembrando: a Europa é o berço da cultura ocidental.

- Caminhar! Pois se tem algo que irá fazer bastante ao visitar uma capital Européia é isso! Afinal, são lugares seguros, agradáveis, normalmente bem sinalizados (para turistas), e você vai ficar tão empolgado que não vai querer pegar um ônibus ou metrô e perder as belezas do trajeto.

- Viajar de trem entre as cidades e PAÍSES é outro prazer tipicamente Europeu. Planeja ir a Paris? OK, mas se tem vários dias disponíveis nada impede que tome um trem e vá parar em Londres, na Inglaterra!  A proximidade entre os locais + os trens de alta velocidade tornam fácil de visitar mais de uma capital em uma mesma viagem. E viajar de trem olhando a paisagem é simplesmente uma delícia!

- Um estilo de vida mais “desapegado”, focado um pouco mais no bem estar das pessoas (planejamento urbano, vida ao ar livre com segurança), do que no consumo. Pode parecer estranho para a gente, mas para o Europeu comer andando ou sentado num degrau ou no banco da praça é a coisa mais natural do mundo, assim como ir de bike ou transporte público para o trabalho (e não tanto de carro), tomar sol de bíquini nos parques ou margem de rios e lagos quando chega o verão, ou pedir os pratos a la carte em um restaurante e apreciar ser servido e comer devagar, entre tantas outras coisas.. Enfim... parecem mais despreocupados com questões de aparência e status, são mais relax... (é de modo geral e até “estereotipado” que escrevo isso, não pretendo abrir discussão profunda sobre o assunto... dá para entender o que eu quis dizer, principalmente se comparar com a descrição do americano e seu dia-a-dia...)

Custos e língua:

Não dá para negar que Europa é um pouco mais caro do que EUA sim. Como a moeda é o euro, que na conversão para o Real custa para gente cerca de uns 30% a mais do que o dólar, os preços podem parecer mais “pesados” mesmo, e realmente são. Mas como existem inúmeras opções de alimentação, hotéis e entradas nas atrações (alguns dias gratuito), dá para economizar e gastar menos se quiser, é só planejar e fazer as escolhas certas. Passagens para a Europa (salvo raras promoções) também costumam ser mais caras, por volta de R$1850-2000 o preço normal e R$1600 quando em oferta, enquanto para os EUA custa uns R$1600 e R$1100-1200 quando está bem promocional. Já hotel, tive bem mais facilidade em encontrar preços com bom custo-benefício na Europa do que nos Estados Unidos, sempre pelo site da Booking.com.

Cada país da Europa tem seu idioma, e muitos deles tem mais de uma língua oficial. Não é como no Brasil onde todo mundo fala português e pronto. Embora grande parte dos europeus fale bem o inglês, pois estudam desde cedo nas escolas, se você acha que teria medo e se sentiria muito desconfortável em um local aonde não entenda nada do idioma (afinal, inglês oficial na Europa só no Reino Unido!), TALVEZ seja o caso de evitar. E escrevo talvez em letra maiúscula, para destacar que não acho que alguém deva deixar de ir por cauda disso. Sempre dá-se um jeito de se fazer entender (só vai demorar um pouco mais de tempo), e a mímica é universal, então tem como se virar mesmo sem entender ou ler 1 palavra do idioma. 

Não indicado para:

Quem não gosta de museus, nem de caminhar, ou tem aversão a arquitetura antiga rebuscada, ruínas medievais e tantas outras “velharias” (maravilhosas!) que se pode ver por lá! Minha mãe e sogra são exemplos dessas pessoas, que olham os prédios nas nossas fotos e falam: eu não queria ver isso não! (viu só? gosto é gosto...)

Um pouco da arquitetura e estilo de cada cidade:

 Paris

 Londres

 Roma

 Madri

 Barcelona

 Amsterdã

 Berlim

_________________________________________________________________________________

# ESTADOS UNIDOS
Considerando as principais capitais e/ou as cidades + visitadas: Nova York, Washington, São Francisco, Los Angeles, Las Vegas, Miami,  Orlando, Chicago...

É para quem gosta de:

- Cidades ultra urbanas, com prédios altos, muito comércio e agitação (diurna e noturna). Nova York por exemplo é conhecida como “a cidade que nunca dorme”.

- Arquitetura mais moderna e/ou contemporânea, com muito concreto armado, linhas retas, vidros, metais. Maior chance de ver algumas ousadias arquitetônicas fabulosas de arquitetos mais atuais.

- História com foco nas guerras, revoluções, descobertas científicas, eleições e períodos presidenciais americanos.

- Para quem gosta de museus de arte, lá também tem muitos de qualidade, e vários outros igualmente grandes e especializados em temas diversos, como museu de história, museu aero-espacial, etc

- Para quem curte cinema e filmes, já que lá está a maior indústria cinematográfica do mundo, e isto se reflete em várias atrações relacionadas ao cinema e/ou aos atores e celebridades em si. Com este foco, as principais cidades seriam Los Angeles, Las Vegas e Nova York. Ver musicais da Broadway em NY ou visitar estúdios de cinema são passeios “clássicos” por lá.

- Para quem curte parques de diversão, pois neste quesito os EUA é mesmo bárbaro, não só pela Disney e seu querido mascote orelhudo, mas também por vários outros parques e atrações do tipo, sempre muito bem montados e extravagantes, para divertir e fazer voltar a infância. Para os amantes da fantasia, de mundos de magia, é um país que cativa neste sentido.

- Para quem gosta de viajar de carro, seja entre as cidades ou mesmo para se deslocar dentro delas, visto que muitas cidades são grandes e com as atrações dispersadas, de modo que é difícil ir andando. É muito comum locar carro nos EUA. Um lugar que dá para caminhar bem de um ponto ao outro é Nova York, que tem muita coisa para se ver em cada região. Já as outras cidades podem ser bem espaçadas e com as atrações dispersas.

- Para quem gosta muito de fazer compras e/ou acha que isso é parte essencial da viagem, e está disposto e ansioso para gastar dias nesta “atividade”, quase preferindo isso à passear e conhecer a cidade em si. Com este foco, os principais locais seriam Miami, Orlando e Nova York (mas na verdade todas as cidades lá tem bons preços e os famosos outlets, sendo que em algumas as taxas de impostos são até mais baixas ou inexistentes). Quem curte o american way of life (...status, poder, qualificação, expertise  e muito trabalho), certamente irá ficar feliz em estar lá e se sentir um pouco no meio daquilo.

Custos e idioma:

Os preços de modo geral são mais em conta do que na Europa, e além disso a cultura americana incentiva o consumo de várias formas, sendo 3 delas: com preços baixíssimos em outlets e promoções (para a pessoa achar que está perdendo se não comprar), incentivando a compra de um tamanho maior ou mais quantidade por um preço só um pouquinho maior, ou ainda através dos cupons de desconto, que estão por toda a parte e são mais uma arma para estimular o consumo. Dito isso, e como todo mundo sabe nas inúmeras reportagens que tem saído sobre “Compras nos EUA”, lá é mesmo um bom lugar para fazer compras. Comparado com o Brasil, onde incide muito imposto em tudo e as coisas de marcas são altamente valorizadas e caras (mas tem quem pague, aí continua caro...!), lá quase tudo é mais barato mesmo, seja em termos de acessórios pessoais, até comida, roupas, eletrônicos, carros... Sim, comprar lá pode ser uma paraíso para quem faz disto seu esporte preferido (porém não mais barato do que na China e Sudeste Asiático). 

Já o preço de hotel e hospedagem não é barato não, me assustei um pouco em comparativo com a Europa, que achei que tinha mais opções acessíveis e bem localizadas disponíveis. De qualquer forma, indico fazer as reservas por este site aqui, bem confiável e com ótimos preços. Em NY é tudo bem inflacionado, e os preços mais em conta são fora da ilha de Manhattan, às vezes em locais bem distantes. No comparativo: na Europa dá para achar quartos privativos com banheiro (para 2 pessoas) por 50 euros (=R$130), bem no centro histórico das cidades, enquanto em NY e Washington é quase impossível achar algo bom e bem localizado por menos de 100 dólares (R$190-200 a diária).
A língua do país é o inglês, então para quem se vira um pouco no idioma não tem muito o que temer, já que as placas, menus e sinalização vão estar neste idioma, independente do lugar que você vá por lá.

Não indicado para:

Quem não gosta de compras ou cujo foco de viagem praticamente não seja esse (é claro que uma ou outra coisinha todo mundo gosta e acaba comprando, mas é diferente...). Também não é recomendado para quem não gosta ou se incomoda com: barulho e agitação demais; pessoas que parecem sempre atrasadas e na correria; e manifestações “excessivas e exacerbadas” de capitalismo, competitividade, culto a celebridades e estimulo ao consumo. 

Um pouco da arquitetura e estilo de cada cidade:

 Nova York

Washington

 Chicago (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/Chicago)

 Las Vegas (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/Las_Vegas)


 Miami (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/Miami)


Orlando (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/Orlando,_Florida)

 Los Angeles (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/Los_Angeles)


 São Francisco (foto tirada de http://en.wikipedia.org/wiki/San_Francisco)
_________________________________________________________________________________ 
RESUMÃO:
De forma geral e bem resumida, daria para dizer que os Estados Unidos atendem melhor quem tem interesse e foco em entretenimento, enquanto a Europa se adequa melhor para aqueles que buscam algo mais cultural e histórico (mas tb tem entretenimento na Europa e cultura/história nos EUA é claro!). 

O ideal seria se cada um tivesse a chance de viajar para ambos pelo menos uma vez, e aí notar na prática estas muitas diferenças e os pontos em comum. Também não significa que se você gosta de arquitetura moderna não vai gostar das cidades da Europa e pronto, não é por aí, tem que saber balancear as características citadas acima e ponderar o que acha que seria melhor neste momento para você, entendendo que gostar mais de um não exclui a possibilidade de gostar (ou mesmo de ir visitar) o outro. Viajar sempre é bom e agrega muita coisa em nossa vida, penso que quanto mais puder sair e conhecer este mundão afora, melhor! ;-)


Uma questão que pode gerar polêmica mas vou mencionar: SOBRE A GENTILEZA. 
Achei os americanos bastante rudes e individualistas no trato com as pessoas. São muito diretos também, não tem oi, nem bom dia, nem por favor, nem formalidade alguma, são mais do tipo “fale o que quer rapidamente e siga seu rumo, estamos com pressa”! (ou então meio que dão risadinha da sua cara por perguntar algo que para eles parece óbvio, mas que para o turista não é). Já na Europa, embora o povo seja “mais fechado” e não tão sorridente quanto o brasileiro espera, são ao mesmo tempo mais gentis e prestativos. Experimente pedir uma informação e verá que em grande parte dos casos vão fazer o possível para conseguir te ajudar. Se ficar parado muito tempo com um mapa aberto e cara de perdido na rua é possível que venha alguém para te oferecer ajuda. Enquanto o americano não quer dar muita explicação ou gastar seu precioso tempo para te ajudar, já os europeus fazem isso com mais calma e de bom grado. O “nova-iorquino clássico” não cede espaço no metrô, pois está ali tão entretido com seu Iphone e com fones de ouvido que não presta atenção ao redor, além de acomodar suas sacolas de compras confortavelmente em cima dos bancos, deixando outros de pé por conta disso. Me causou uma má impressão geral em relação à educação do povo. 


E a melhor opção para quem tem crianças?

É inegável que para uma criança a Disney é melhor do que qualquer coisa no universo! (acho 9 entre 10 crianças devem ter este “sonho de consumo”...) Então se você quer fazer a viagem dos sonhos PARA O SEU FILHO e com foco apenas em brincar e aproveitar o tempo junto com ele, para ver ele sorrir muito e gastar energia, pode ser mesmo que todo o colorido e “show-business” dos EUA seja a melhor opção.
No entanto, vale lembrar que também pode ser muito legal e interessante fazer uma viagem com mais ensinamentos e estímulos diferentes para a criançada, visitando locais variados que despertem a curiosidade deles, já que os pequenos gostam disso e são como uma esponja, que vão absorvendo e aprendendo com tudo ao redor. A viagem pode ser interessante para os pais e para os filhos também, é só saber mesclar e tornar as coisas divertidas. Também tem muita programação bacana para fazer com crianças nas capitais da Europa, sem contar a facilidade nos transportes e ao andar nas ruas. E se for uma questão de Disney, lembre-se que em Paris também tem uma! ;-) (EuroDisney)

_________________________________________________________________________________ 

E já que um blog deve ser pessoal e exprimir um pouco da visão do autor...  aí você poderia perguntar: mas o que você(eu) prefere? Minha resposta nua e crua: Europa 1000x! Gosto de lá por toda a carga histórica e cultural, pela arquitetura antiga, pela variedade de idiomas e modos de viver em um espaço tão pequeno (afinal a Europa toda, com 50 PAÍSES, é só um pouco maior do que o Brasil), pela facilidade em pegar um trem e após 2 horas estar num país totalmente diferente... Enfim... acho que tem muito mais coisa que me enriquece por lá. E se é para ir para o exterior para ver algo “diferente do Brasil”, então acho que Europa também é mais adequada neste sentido. Assumo: sou uma apaixonada pelo Velho Continente! 

Quanto aos EUA, meu maior interesse está em conhecer a parte geológica e reservas naturais, como o Grand Canyon, Parque Yellowstone, Yosemite e por aí vai... A cênica Highway 1 pela Costa da Califórnia também seria muito bem vinda! ;-) Aliás, se o seu foco for estes lugares, aí já deve ter percebido que o texto não se aplica a estes locais, mas sim em relação as grandes cidades onde a maioria pensa em ir (e vai) quando cogita viajar para os EUA. 



Roteiros e estilos 5384033339538066799

Postar um comentário

  1. Eu não vou nem entrar no mérito da questão qual destino encaixa em qual perfil..Porém tenho que dizer que não curto muito essas generalizações. Na grande maioria das vezes elas acabam se transformando em visões estereotipadas de um povo, destino ou país. E de certa forma como blogueiros formadores de opinião, devemos ser muito cautelosos e evitar reproduzir este tipo de mentalidade.
    Eu, até viver nos EUA era totalmente apaixonado pela Europa também.Vivia dizendo que jamais iria visitar os EUA, porque o povo isso, a comida aquilo e por aí vai...
    Minha percepção em relação ao país mudou completamente. Obviamente existem diferentes tipos de pessoas (todo lugar tem).. O americano quando é legal, é muito legal, mas quando é tosco é MUITO tosco e prepotente. Mas a mesma coisa se aplica para o Francês, Alemão, Italiano e por aí vai
    Tenho que dizer que de certa forma, sinto pena de quem pensa nos EUA apenas como num destino de compras..Entendo que os preços no Brasil estão pela hora da morte.. Mas pensar num destino só pelas opcões de compra.. Sinceramente...
    Bem é por essas e outras que quase nunca escrevi sobre o assunto (Compras nos EUA- Mesmo sabendo que isso é o que gera audeiencia infelizmente).. Até porque, se ficasse alardeando para os quatro ventos sobre compras em Delaware, o estado seria muito em breve tomado por Brasileiros que só pensam nisso..
    Mas enfim.. no fundo mesmo, o ideal é ter a oportunidade a Europa e os EUA.. Certamente serão experiências completamente diferentes mas igualmente inesquecíveis..

    Bjs

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Puxa! Acabo de voltar de Nova York e tive uma visão oposta a tua.
    Achei o povo muito bem educado e prestativo, apesar da pressa.
    Me pareceu que todo mundo é de fora, então todos são dispostos a ajudar.
    O "Please", "Excuse me" e "Sorry" toda hora até irritam.

    ResponderExcluir
  3. Oi Oscar! Entendo seu posicionamento e concordo que existe uma certa generalização no texto sim, pois caso contrário, se fosse escrever sobre todas as especificidades e exceções, se tornaria um livro ou tese, e não um post! ;-) Como vc escreveu no final, são sim destinos e experiências bem diferentes, e este maior "foco" de um ou de outro é que eu quis abordar, no intuito de ajudar alguém que de repente tá na dúvida e até se sente compelido a ir em um lugar por ser "mais famoso" quando na verdade seu estilo e gosto pessoal talvez fosse mais atendido visitando outra região. Não é nada definitivo ou castrador, e sim apenas com a intenção de mostrar que são diferentes, e que o que pode agradar muito a um nem sempre pode agradar ao outro. Não estou dizendo que Europa é melhor que EUA, porém eu gosto mais de lá, é só minha opinião.

    Quanto ao foco de ir aos EUA só fazer compra também acho uma tristeza só! Se fosse só isso, a parte sobre os EUA no post se resumiria a um parágrafo, mas não é! Os Estados Unidos tem muitas atrações para visitar e coisas imperdíveis para fazer além de compras com certeza. ;-)

    ResponderExcluir
  4. Olá Aninha.
    Que bom que sua experiência lá foi diferente e de modo geral topou com pessoas + educadas. Claro que não são TODOS por lá que são assim ríspidos, existem pessoas simpáticas e prestativas é claro, mas escrevi a minha impressão baseada no que vivenciei em alguns locais, mas não é algo 100% ou fixo. Achei que nas lojas eles te tratam bem, porém nas ruas ou até pontos de informação e atração turística tinha este toque de rispidez e agilidade que "atrapalhava" um pouco.

    ResponderExcluir
  5. lÁ EM CURITIBA O POVO TBÉM É DESSE JEITO...

    ResponderExcluir
  6. Não entendi bem Karla... em Curitiba o pessoal é desse jeito como? (afinal o texto é longo e diz várias diferenças). Se for no aspecto da gentileza (ou a falta dela como acho que foi o que quis dizer), só posso lamentar que não tenha tido uma experiência boa neste sentido quando veio aqui.

    É como já disse em outros comentários.... nem todo o povo é ruim e nem todo é gentil/perfeito, são só experiências de cada um, que depende da sorte ou azar do dia, das pessoas que encontrou, dos lugares que frequentou e etc...
    Espero que tenha uma impressão mais positiva se vier para cá novamente! ;-)

    ResponderExcluir
  7. Anônimo19/5/13

    Boa noite Simone..estava procurando na Net a resposta para a pergunta Europa ou EUA e achei o seu blog...muito bem escrito , ideias claras .. mas como o brasileiro ¨somos ¨ dificeis, sim digitei somos por que também sou brasileiro , um povo dificil e critico .. li um comentario acima , feito pelo Oscar que me pareceu distorcer toda a sua construção sobre o tema, que ao meu ver foi muito bem elaborado...
    estou neste dilema..quero conhecer a Europa, arranho no ingles e acho que vou me perder por lá..não consigo ainda determinar um roteiro..mas vou continuar minhas pesquisas

    parabém mais uma vez

    ResponderExcluir
  8. Olá! Que bom que curtiu o post e está lhe ajudando.
    Quanto ao comentário do Oscar, eu conheço ele e entendi bem a colocação (respondendo abaixo), e não acho necessariamente que desconstrói o tema, mas de certa forma contribui para que os leitores leiam mas sem levar tudo ao pé da letra, pois é sim uma generalização e precisa saber filtrar, para não achar que é 8 ou 80, ou só de um jeito ou de outro em cada lugar. ;-)

    Acho que se você prefere a Europa e acha que vai gostar mais, não se iniba por conta dos idiomas diferentes. Lá grande parte das pessoas falam inglês, e a parte turística é bem estruturada, conseguindo atender de forma eficiente quem fala ou não inglês. Sempre dá-se um jeito, não deixe de ir por conta disso! ;-) (só se prepare melhor com mapas dos hotéis e das atrações que quer ir, assim fica mais fácil pedir informações ou usar o transporte)

    ResponderExcluir
  9. Anônimo20/5/13

    Obrigado pela resposta ( ex anonimo ) acho que entendi o que o Oscar tentou passar , mas não acho que o blogueiro possa criar esteriotipos , ou pode ?
    o fato é que estou chegando a conclusão que voce criar sua viagem sai mais em conta e pode se tornar mais proveitosa do que por agencias onde me pareceu que se fica mais em onibus , check in e out do que conhecendo as cidades
    estou tentando visualizar um roteiro tipo Roma , Frankfurt, Amsterdã e uma cidade da Suiça que é meu sonho de consumo pois imagino ser o local perfeito - se é que existe -
    mas ainda preciso navegar em todos os seus artigos ...Mauricio , não aprendi a colocar meu nome aparece uma exclamação

    ResponderExcluir
  10. Depende Mauricio. Os blogs de viagem hoje em dia estão com bastante força de envio de informações aos viajantes sim, que tem pesquisado cada vez mais. Se vários blogs começarem a mostrar uma mesma imagem X sobre um destino, de repente até pode se criar um estereótipo sobre uma região sim, não é impossível.

    Também gosto mais da viagem "desempacotada" e procuro fazer sempre assim por conta. Porém, isso exige tempo, paciência e bastante informação (para chegar no local mais seguro), então pode não ser a melhor opção para todo mundo. Tem que respeitar seu perfil e facilidade ou não com estas situações de compra, pesquisa e reserva pela internet.

    ResponderExcluir
  11. Anônimo9/6/13

    Excelente, eu gosto muito da Europa. Não que eu não goste do Estados Unidos, mas não é o meu sonho de consumo. Quando Karla, estranho a sua opinião, pois a população nativa de Curitiba é menor, que a população forasteira. Sem contar que tanto no Brasil, como na Europa eu ouço elogios a Curitiba.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo25/8/13

    Oi Simone, você está correta quando fala da questão do idioma na Europa. Fui em Portugal, no verão, e o interessante é que praticamente não vi portugueses, pois quase todas as pessoas nas ruas pareciam turistas. Estes turistas se comunicavam com os portugueses, nas lojas, no hotel, em pontos turísticos, sempre em inglês. Fiquei impressionado, no hotel, como mesmo os funcionários que pareciam menos graduados, falavam, com os hóspedes, em um inglês que para mim parecia perfeito. Se em Portugal é assim, acho que o resto da Europa deve ser parecido.

    ResponderExcluir
  13. Stella Frugeri27/8/13

    Eu busquei informações de qual seria o melhor lugar pra morar...e ai surgiu a pagina do blog...com certeza E.U.A é mais viável pra mim e minha família a julgar pelos nossos gostos e costumes...Mas se for pra viagens não a duvidas que a Europa ganha,sem comparação...
    Fiquei extremamente encantada,com desejo no olhar vendo as fotos da Europa...é excepcional...
    Parabéns pelo post...amei!

    ResponderExcluir
  14. Olá Stella! Agradeço seu elogio, que bom que gostou do post! Siga nosso blog e as novidades também pelo facebook: ;-)
    www.facebook.com/flashesdeviagem

    Se não para morar, mas vá um dia passear na Europa também, é difícil que alguém não goste do que vai encontrar por lá!

    ResponderExcluir
  15. Fernanda16/1/14

    Adorei o seu pos Simone! Me identifiquei muito com os seus comentários e sempre tenho algumas dúvidas em relação a isso na hora de viajar ao exterior. Geralmente eu viajo para conhecer o país e ao mesmo tempo aprender o idioma. Na minha última viagem, eu fiz um intercâmbio em Madrid para aprender espanhol. Eu estudei em uma escola de espanhol em Madrid bem no centro da cidade chamada Sprachcaffe que também estava oferecendo a hospedagem, alimentação e atividades de lazer e foi muito legal pois fiz várias amizades. Vale a pena visitar a Espanha e conhecer a capital histórica européia como também conhecer o Estádio do Real Madrid. Compartilho a minha experiência e também aprendo com alguns comentários e deixo aqui a dica da escola onde estudei http://www.sprachcaffe.com/portuguese/study_abroad/language_schools/madrid/main.htm

    ResponderExcluir
  16. Oi Simone, adorei o post e antes de ler sobre os EUA, já sabia que era apaixonada pela Europa. Estou passando por esse dilema agora. Três amigas querem ir pra NY em agosto, mas eu prefiro Europa. Primeiro porque eu não tenho perfil pra muitas e intermináveis compras e sei que indo com elas vai se resumir em outlets e outras lojas. Segundo, eu já estive estive na Europa por agencia e sou frustrada c Paris... Não tive tempo pra fazer as coisas que eu queria porque foi uma correria só. Mas eu sempre vou preferir Europa. Quero conhecer NY, mas se só puder fazer uma viagem, vou pra Europa. Mas quem sabe...sou voto vencido no grupo.... novas experiencias são bem-vindas! Abraços, Nyvea

    ResponderExcluir
  17. Olá Linda!
    É bem isso, esteja aberta a novas experiencias! Se realmente optar em ir com as amigas para NY, saiba que com certeza tem muita coisa para ver e fazer sem ser compras, e pode conversar isso com elas antes, ou mesmo se separarem em alguns momentos e fazer atividades diferentes, de acordo com o gosto de cada uma.
    Mas se quer tanto ir para Europa novamente, quem sabe juntar umas reportagens e posts de blogs bem bonitos e tentar convence-las hein? ;-)

    boa sorte e boa viagem!

    ResponderExcluir
  18. Simone,preciso de ajuda,pois quero passar a lua de mel,mas estou em duvida em relaçao aos dois destinos, EUA X Europa, to com medo em relaçao de qual pais vou me perder menos,rs e qual irei gastar menos tbm,mas irei aproveitar mais..tbm gostaria de saber na sua opniao se a primeira viajem internacional devemos fazer por conta propria ou por agencias? Obrigada desde já .

    ResponderExcluir
  19. Oi Eduarda!
    Não tem como dizer em qual vai se perder menos, pois depende da cidade. No geral as européias são muito bem sinalizadas, e mais amigáveis para andar a pé ou de transporte público. EUA as vezes precisa mais de carro ou táxi.
    Com comida e compras se gasta menos nos EUA, mas hotel pode ser caro em alguns lugares, como Ny por exemplo, bem inflacionado.
    Sou a favor de viajar por conta sempre, acho que gasta menos e dá mais liberdade, mas vai do gosto de cada um e do quanto se sente seguro ou não. Se for por conta, leia bastante sobre o destino, pegue dicas, e chegando lá os mapas da cidade.
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Anônimo2/7/14

    Muito legal as Dicas Simone! Com certeza vai me ajudar!
    Agora, descobri uma coisa bem legal, e deixo como dica também! Tem um app pra celular com Android ótimo (chama "Inglês de Bolso") para aprender as frases mais utilizadas em inglês:
    https://play.google.com/store/apps/details?id=com.mobidiving.guideusa
    tem a versão free..com algumas categorias a menos: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.mobidiving.guideusafree
    ..pra viajar pro exterior e se o inglês for tão ruim quanto o meu..essa solução é genial.

    ResponderExcluir
  21. Anônimo5/9/14

    Amei ler o que escreveu do inicio ao fim. Ideias claras e precisas. Continue fazendo o que faz. Muitos parabens.Concordo plenamente com você.

    ResponderExcluir
  22. Anônimo17/10/14

    Simone, rodei mais de 30.000 km (27 estados americanos, por cidades grandes e pequenas) durante 6 vezes que por lá estive. Em todas as vezes fomos, eu e minha família, muito bem recebidos . As palavras que mais ouvimos em hotéis, parques, museus, lojas, supermercados ,restaurantes, centros de informação turística e em todos os lugares foram: Hi!, May I help you?, Thank you!, Good morning!, Have a Nice Day! Só por curiosidade: numa ocasião, estava no interior do Texas, fazendo check-in no hotel e o senhor que me atendia quando soube que era brasileira, disse que nunca havia hospedado um brasileiro e ficou curioso. Na manhã seguinte ele já sabia várias coisas a respeito do Brasil e do povo!! Acho que devemos tomar cuidado ao usarmos as palavras!!! Melhor sorte na sua próxima viagem aos Estados Unidos!!!

    Elizabeth

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que só teve experiencias positivas Elizabeth. Acho que no interior devem ser mais gentis mesmo, mas vai da experiencia pessoal de cada um. Só fomos em NYC e Washington, e nessas duas em alguns momentos achei o pessoal um pouco grosseiro. Mas um dia volto lá e pode ser que eu tenha outra impressão bem diferente ;-)

      Excluir
    2. Anônimo10/1/16

      Concordo em gênero, número e grau com o Unknown. Também posso dizer que conheço bem alguns países da Europa e muito melhor ainda os Estados Unidos, entre vários estados e cidades (grandes e pequenas, inclusive Nova York, Washington e Los Angeles). E como o Unknown disse, palavras de gentileza não faltam no trato com os americanos. Obviamente, pessoas educadas e grosseiras não privilégios de país nenhum em particular e estão em toda parte. Afinal, o que não falta em Roma e Paris são pessoas grosseiras; como também, para não ir muito longe, em toda parte por este nosso imenso Brasil. Portanto, deveríamos então atribuir esse fato como uma característica marcante desses lugares?
      Ah, e por favor, não me venha com essa de que a mímica resolve tudo em qualquer lugar do mundo porque isso não é verdade. Pode resolver para a pessoa se fazer entender em situações extremamente limitadas e, ainda assim, com grande margem de erro, superficialidade e frustração, resultando em uma visão distorcida e errônea dos lugares visitados. Ou seja, a pessoa pensa que entendeu tudo, quando, na verdade, não entendeu nada, e ainda volta criticando e pondo defeito em tudo e todos.

      Excluir
  23. Anônimo1/2/15

    Achei interessantes os textos acima e gostaria de deixar minha opinião. Se você fala um inglês básico, não se preocupe em viagens pela Europa. Com exceção, lógico, do Reino Unidos, nos demais países europeus, boa parte das pessoas conhecem a língua inglesa, mas não com tanta profundidade e usam vocabulário mais simples em frases mais curtas, o que facilita muito a compreensão. Assim, podemos nos fazer entender com certa tranquilidade. Pelo menos foi desta forma, comigo. Já nos Estados Unidos, a coisa é diferente. Neste país, só fui em Miami e, como boa parte das pessoas que trabalham com o público, nesta cidade, falam espanhol, eu já iniciava o diálogo perguntando se poderíamos falar em espanhol, mas, falava em português mesmo. Quando a comunicação ficava difícil, complementava com o inglês. Este esquema facilitou muito a minha vida em Miami e aí fica uma dica.

    ResponderExcluir
  24. Já visitei a Europa e os EUA várias vezes. Quer saber onde valeu mais a pena? Vou ser direto: EUA! É onde nascem as tendências e novidades do mundo atual, seja em cinema, música ou tecnologia. E as atrações são infinitas!

    ResponderExcluir
  25. Me agradou muito ler esse post, estou em duvida quanto a ir para Europa ou EUA, meu foco é o aprendizado da lingua inglesa mesmo, pretendo ficar uns 3 meses, qual vc recomendaria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho importante além de estudar a língua na escola/intercâmbio, estar em contato com ela no dia-a-dia, ouvindo as pessoas e tentando se comunicar com ela.

      Por este motivo indicaria algo nos EUA, Canadá (exceto parte francesa) ou na Europa também, desde que fosse em países cuja língua principal falada nas ruas é o inglês, como por exemplo no Reino Unido ou Irlanda.
      Por mais que os europeus de modo geral saibam bem o inglês, não recomendo algo na Alemanha por exemplo, pois não é a lingua nativa usada nas ruas, embora quase todo mundo saiba falar e fluente.

      Excluir
  26. Digamos que eu opte pela europa, 15 dias, o que consigo conhecer? O que escolher nesse tempo curto? Quero conhecer Paris, e decidir entre Itália, Espanha, Alemanha ou Portugal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luciane!
      Fica dificil te dar uma resposta, pois depende do seu interesse, do seu sonho, de que tipo de local e/ou passeio gosta. Pense nisso primeiro, e então se escolher capitais ou cidades maiores, planeje ficar pelo menos 3 dias em cada uma delas, sendo 4 o ideal.
      Então, por exemplo, se quiser usar vôos low-cost para conhecer Paris - Madri - Roma - Berlim, estas 4 cidades praticamente já preencheriam seu itinerário, dando para colocar mais uma no máximo.
      Se procura gastar um pouco menos, destes outros países que citou Portugal é o mais barato com certeza, seguido de Espanha. Já Itália e Alemanha mais "inflacionados"

      Opte pelas capitais se quiser conhecer um pouco de cada país, ou se acha que dificilmente voltará a viajar para lá. Senão, sugiro fazer Paris (que é seu foco), e depois ir para Espanha ou Portugal e conhecer várias cidades (maiores e menores) dentro do mesmo país, fazendo os trajetos curtos de carro alugado ou de trem.

      Espero ter ajudado! abraço e boa viagem!

      Excluir
  27. Anônimo22/8/16

    Ola, adorei td que li, achei super importante para mim, pois estamos eu e meu marido num dilema. Iremos fazer ano q vem uma viajem para fora do pais, mas ainda estamos super na dúvida se iremos para NY ou Espanha, o porque da nossa duvida, pouca grana, em ambos os lugares, vamos por conta propria e ficar hospedados em NY em residencia (paga) e Espanha alugar um pq ap mais ou menos 500 euros por 20 dias. Se voce puder nos ajudar adoraria, estamos realmente com mtas duvidas, pela parte financeira, e claro, gostariamos de saber em media em cada local o q se gasta na diaria.Mt grata e abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLá
      Não consigo te dizer valores por dia, isso é muito relativo e depende do padrão e escolhas de cada um.

      Mas posso dizer que achei 500 euros um ótimo preço para 20 dias de estadia na Espanha!! (Madri? Bracelona?) Se estiver em um lugar bom, e se tratar de quarto privativo com banheiro e algumas comodidades está barato, pois normalmente se pagaria uns 50 euros por dia ou mais, ou seja, valor para 7 à 10 dias (dependendo do hotel).

      Ainda na questão preço, como dólar e euro estão com valores próximos, posso te dizer que sai mais barato os lugares na Europa do que Estados Unidos, pois proporcionalmente os valores em euro são mais baixos.

      Exemplos: um iogurte unitário na espanha é uns 0,30-0,40, enquanto nos EUA sai por 0,90-1,20. Um café ou cappucino na rua custa +-2 euros, mas em NY por exemplo o pequeno custa uns 3,5-4 dólares. Um frango assado para comer no hotel deve sair por 10-12 nos EUA, enquanto na europa acho que sai uns 7-8. Transporte tb é proporcionalmente mais barato, e entrada para atrações nem se compara! Enquanto os museus e atrações na Europa costumam custar em torno de 8 euros até uns 12, as entradas em NY custam bem mais caro, como 25 dólares cada museu por exemplo (MoMa ou Metropolitan).

      Enfim... Espanha é mais barato neste momento, porém o que vc precisa pensar é se realmente gostaria de ir para lá e que tipo de viagem e atrações procura. Particularmente, amo Espanha e lá tem muito a oferecer! Ficando em Madri ou Bracelona, além de 2 cidades incríveis, ainda tem muita coisa legal ao redor para ver tb, e a cultura e arquitetura é bem diferente daqui, enquanto NY lembra mais o Brasil (São Paulo). ;-)

      Depois nos conte o que decidiu! Abraço!

      Excluir
  28. Anônimo12/5/17

    Achei bem legal seu post. Vivi por curtos períodos, tanto nos EUA como na Europa. E tive impressões muito semelhantes as suas. Em minha oinião: Europa 1000X rsrsrs. Abraços.

    ResponderExcluir
  29. Olá Simone,
    Em primeiro lugar: Parabéns pelo post!!!
    Como estou desempregada nesse período e por estar próximo o verão na Europa e EUA pensei em viajar por uns 20 dias e conhecer um deles. Gostaria de ir à Espanha por ser mais em conta e por conta própria (li no seu post), devo ir primeiro para Madri ou Barcelona? em setembro/17 tem sol, é um período bom? quais dois países mais próximos posso conhecer? é mais econômico e seguro alugar um carro ou ir de trem (viajarei com o meu filho e dirigimos)? Dará para eu exercitar o meu inglês básico já que a língua oficial é espanhol?

    Abraço!
    P.S.: Amei as suas dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! segue as respostas de forma abreve:
      - Tanto faz entrar por Madri e Barcelona. Mas se fosse para eliminar uma, seria Madri, pois BCN é imperdível.

      - Meio de setembro é final de verão inicio outono, as temperaturas ainda serão quentes e amenas por lá, meia estação (primavera ou outono) são sempre as melhores opções (clima bom, menos gente, mais barato)

      - Junto com Espanha pode visitar Portugal e França, os dois são ótimos e valem muito a pena! Em Portugal tem o sul com as praias (região do algarve), tem Lisboa e seus arredores (Sintra, Cascais) e mais ao norte Porto.... e por aí vai

      - Não sei qual sai mais barato atualmente, mas tanto de carro quanto de trem é bem seguro. Vai da sua paciencia e vontade de dirigir ou não, se quer parar em lugares no meio do caminho, etc. Se quer apenas ir direto, o trem pode ser boa opção.

      - Sim, pode usar o inglês e vai exercitar. Toda a parte hoteleira da Espanha ou dos países visinhos atende em inglês, e mesmo nas ruas a maioria sabe inglês e pode te ajudar nesta lingua.

      boa sorte e boa viagem!

      Excluir

emo-but-icon

Página inicial item

Pesquisar no blog

Loja Viagema

Reserve seu Hotel

Celular no Exterior

PARA QUEM AMA VIAJAR

RECEBA NOSSOS POSTS

Curta no Facebook

Leia Também