Loading...

VENEZA - “una belíssima” e contraditória cidade italiana


Em algum momento (quase) todo mundo já imaginou e desejou conhecer esta cidade tão peculiar, com casas abrindo diretamente para a água. Veneza é uma cidade formada por mais de 100 ilhas no nordeste da Itália, considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.  

Veneza povoa o imaginário popular como sendo um lugar extremamente romântico para curtir a dois, num passeio de gôndola pelos canais ao som de algum barítono entoando músicas italianas ao vivo... mas é assim mesmo?



Vamos aos fatos:
- sim, a cidade é linda e charmosa, com alguns pontos de observação realmente de tirar o fôlego. A arquitetura das casas, hotéis, palácios e restaurantes é bem característica, com janelas verticais com curvas sinuosas e pontudas na parte de cima, residência com sacadas com grades de ferro e floreiras coloridas e pontes em formato de arco .


- muitas portas de casas se abrem direto para os estreitos canais da cidade, sem calçada na frente nem nada. Para acessá-las, os moradores utilizam pequenos barcos ou lanchas próprias, ou o transporte público local, um mix de ferry-boat com lancha, chamado vaporetto, que por sua vez só navega pelo Grand Canale (grande canal) que é o canal mais largo e principal, cortando a cidade em formato sinuoso de S.


- o artesanato local e os souvenirs são bem diversificados e especiais, e o preço de peças originais é bastante caro. As lojas de artigos típicos são vistosas e atrativas, vendendo máscaras venezianas e trajes típicos do mundialmente conhecido carnaval de Veneza, além de artesanato esculpido em madeira, cadernos e artigos em couro e o famoso vidro de Murano, que é produzido numa pequena ilha vizinha chamada Murano, daí o nome deste tipo de trabalho em vidro soprado e colorido. 
 
 

- os canais NÃO exalam mau cheiro. Pode ser que no passado o sistema de tratamento de esgoto não fosse tão eficiente, mas hoje em dia isto não ocorre. Não há cheiro nenhum, constatei e confirmei isso nas 2 visitas que fiz, tanto em 2000 quanto em 2009.

- as gôndolas são o meio de transporte da ilha: NÃO. Veja bem... quem quer se transportar de um lugar a outro na cidade não vai usá-la. Isto porque andar numa gôndola é algo extremamente caro, e também lento. A gôndola é para turistas passearem pelos canais mais estreitos entre as casas, e apreciar a cidade. É algo para se contemplar, para se ter uma experiência diferente, e não para a locomoção propriamente dita. Não chega a ser um passeio exclusivo, pois existem muitas delas, se cruzando e desviando em muitos trechos. Deve ser muito bonito olhar as casas e passar por baixo das pontes em arco, mas não é algo assim tão romântico, ainda mais com um monte de outros turistas tirando fotos de seu "momento a dois”. O preço médio é de 80 à 100 euros por 45min-1h de passeio para 2 pessoas. Raramente existe uma segunda pessoa na gôndola, que fica cantando e tal... e para isso é preciso pagar ainda mais caro, chegando a até 200 euros.









- O VAPORETTO é o transporte público da cidade e o meio mais barato de transitar entre as regiões da cidade e os 2 lados da ilha. O preço é de 6 euros, valendo por 1 hora (neste período pode embarcar e descer quantas vezes quiser). Dentro da cidade não existe circulação de NENHUM veículo terrestre. Sem carros, ônibus, motos, nada. 

Vaporetto navegando pelo Grande Canal

- o mapa da cidade: Veneza é pequena, mas NÃO dá para dizer que é fácil de se locomover. A chance de se perder entre as ruelas estreitas, dar voltas e retornar ao mesmo lugar é bem grande, já que as ruas são parecidas e algumas terminam virando obrigatoriamente para um único lado. Mas caminhar e ir descobrindo novas vistas, casinhas com floreiras na sacada, igrejas e pontes charmosas é uma das melhores coisas para se fazer por lá.





O QUE ESTRAGA A CIDADE:
- indiscutivelmente e em primeiro lugar: a quantidade de turistas. Mesmo fora de temporada, a cidade parece estar sempre abarrotada de gente, principalmente na praça San Marcos e imediações. É um vai-e-vem de pessoas pelas ruas estreitas, se esbarrando e tirando fotos. Isto para mim torna contraditória a idéia de romantismo na cidade, pois acho dificil passar por um momento agradável a dois em meio a tanta agitação.

- em segundo lugar: a exploração do turista, e não do turismo. Ou seja: lojas e restaurantes não estão nem aí com você, metem a faca e exploram mesmo, chegando um pouco ao nível da falta de ética até, na medida que escondem taxas e preços para que o cliente entre, e que só na hora do fechamento da conta aparecem. Com sabem que provavelmente as pessoas nunca mais vão voltar ali, simplesmente não fazem questão de tratar bem.

Exemplo de “malandragem”: entramos num restaurante que anunciava no menu pizzas para 2 por 12-14 euros. Pedimos 1 pizza, 1 refri e 1 cerveja. A hora da conta? Mais de R$80!! E como? O valor das bebidas que não aparecia no cardápio era absurdo (5 euros refri e 8 cerveja). Além disso, + 5 euros para se SENTAR no restaurante e a taxa de atendimento. Pois é... sentou pagou, na Itália tem isso e ninguém te avisa! Resultado: saímos nos sentindo lesados. Comemos pouco e mal, e pagamos muito. Até na sorveteria tinha que pagar a taxa de “coperto” para sentar dentro. Assim dá para entender porque muitos italianos e turistas costumam pedir a comida “para viagem” e comer do lado de fora enquanto caminham ou sentados em alguma praça.


- a falta de bom senso em relação ao comércio e à publicidade. Acho super irritante quando na frente de um ponto turistico importante tem barracas tipo camelô abarrotadas de coisas BEM NA FRENTE, poluindo o visual e aparecendo em todas as fotos. Tampar partes de pontes famosas com faixas de publicidade também não faz sentido algum, é horrível e desnecessário, estragando o visual de arquiteturas centenárias. Exemplos: Ponte Rialto e Ponte dos Suspiros.
Fala sério? Camelô abarrotado em frente ao principal ponto turístico!
(tinha outro ao lado, no mesmo nível- xinguei muito)

- ter que pagar para entrar nas Igrejas. Não sei quanto a você leitor, mas eu me recuso a pagar para entrar numa Igreja. Dar uma colaboração até OK, mas pagar uma boa grana para poder entrar (e ainda enfrentar uma fila enorme) é outra coisa! Lá todas as igrejas são pagas. Só entramos na de Basilica de San Marco porque naquele dia/horário era gratuito, e foi meio frustante. Lá dentro não pode fotografar e a multidão segue por uma faixa lateral delimitada, passa na frente do altar e volta pelo outro lado, tipo boiada no curral... Para entrar na San Marco eles fornecem até uma “túnica” de tecido fininho para quem estiver com roupa muito decotada ou curta entrar. Sendo assim, achei que ali reinaria um clima de respeito e instrospecção, mas que nada! Puro agito turistico e falatório, a gente quase esquece que é Igreja.
 Igreja linda, mas tinha que pagar para entrar.

- por último, a falta da sensação de realidade, de dia-a-dia e alma da cidade. Parece que tudo é voltado para o turismo. Não dá para ter a mínima idéia de como é viver ali, morar ali. Parece que a cidade em si não existe, dá quase a sensação de um parque temático. O que marca mesmo é a mistura e variedade de idiomas dos turistas, em todo lugar.


Depois de escrever tudo isso você deve estar se perguntando: mas então conhecer Veneza não vale a pena? CLARO QUE VALE! Independente da quantidade de turistas, e se o local não é assim tão “mágico” como se descreve ou se espera, ainda assim é uma cidade-ilha única e peculiar, totalmente diferente de várias outras que também possuem canais, e acima de tudo muito bonita.  Os Flashes abaixo não me deixam mentir!

PRINCIPAIS ATRAÇÕES E PONTOS TURÍSTICOS:

Gôndolas
  




Piazza San Marco
Cheia de pessoas, pombos e artistas de rua, principalmente caricaturistas. A praça é retangular e cheia de restaurantes ao redor, e em uma das extremidades está a Basílica de San Marco e o Campanile. De um lado da Basílica está a Torre do Relógio e do outro o Palácio Ducal. Em épocas de maré cheia a praça fica totalmente inundada, pois é uma das regiões mais baixas da cidade. São montados caminhos em madeira por cima da água, para os locais e os turistas circularem.
 Basílica de San Marco- padroeiro da cidade

 Piazza San Marco e o Campanile

Campanile- torre alta que abriga o sino, que toca de hora em hora. É possível subir e apreciar lindas vistas da cidade no mirante, mas a espera na fila pode ser bem demorada.


O mirante no alto da torre garante belas vistas 360graus da cidade

Palácio Ducal- antiga sede do governo e que hoje funciona como museu da cidade.


Torre do Relógio- possui um relógio/calendário que exibe as fases da lua e os signos do zodíaco, desenhados em azul e dourado.

Ponte dos Suspiros- parece um nome romântico, mas não é. Esta ponte sai detrás do Palácio Ducal, ligando-o a outra edificação que antigamente era penitenciária e masmorra. Sendo assim, recebeu este nome porque diziam que os prisioneiros ao passar por ali viam a cidade pela última vez e davam um suspiro de tristeza.












































Ponte Rialto- foi a primeira e mais antiga ponte em pedra de Veneza, criada para ligar os 2 lados da cidade e favorecer o comércio. Só depois de muito tempo é que surgiram outras pontes de ligação. É a ponte ícone da cidade, cruzando o Grand Canale e com vistas maravilhosas para os 2 lados.




Bienal de Veneza-  começa em junho e vai até setembro, nos anos ímpares. É a maior exposição de arte contemporânea do mundo.
 

Outros Flashes da cidade
 2 Igrejas na beira do Grande Canal
 






















Se hospedar em Veneza pode não ser barato, principalmente próximo a Piazza San Marco. Uma outra opção é ficar hospedado na cidade de Mestre, que corresponde a parte de Veneza em terra firme (porém fique atento ao último horário para voltar de vaporetto). O aeroporto internacional Marco Polo fica a 8 km da estação de Mestre e a 13 km do centro da cidade. Se entra ou sai da cidade através dos vaporettos ou pela estação de trem Santa Lucia, que pára num região histórica da cidade. 

E você, o que acha de Veneza? Também se sentiu assim quando visitou a cidade? Conte sua experiência nos comentários, e se tiver alguma dica ou observação também escreva!


Veneza 7892394768796631901

Postar um comentário

  1. Veneza é mesmo linda! Já fui duas vezes e não me cansaria se fosse uma terceira vez! ;)

    ResponderExcluir
  2. O post tá lindo, Si. Eu fiquei encantada por Veneza. Para todo lado que se olhe parece um quadro, uma pintura. O chato é realmente esse fato da publicidade e do turismo que batem forte por lá, mas sabendo desencanar e não cair na conversa "pega turista" dá para aproveitar o melhor de Veneza.

    :*

    ResponderExcluir
  3. Embora não conheça Veneza para dar a minha opinião, adorei suas observações, que realmente fazem todo sentido.
    Adorei o post! Sem dúvidas está na lista!!! =)

    ResponderExcluir
  4. CLEISE21/7/11

    Sii, adorei os comentarios e em muitas situacoes vc tem razao! Veneza sempre abarrotada de gente.... masss no meu ponto de vista, durante 5 meses , toda semana estavamos la, e tive tantas boas memorias e sim voltaria sempre ...nao pelos italianos, mas pela boa comida e pelos inesqueciveis cafes da manha, com pessoas especiais ! :) bjo

    ResponderExcluir
  5. Legal que vivenciou tanta coisa boa lá Cleise!

    Não é que eu não voltaria nunca mais a Veneza, mas é que "turisticamente" já explorei bastante lá nas 2 vezes, e ainda tem tanto lugar no mundo para ir que eu escolheria algo novo! ;-)

    ResponderExcluir
  6. Anônimo19/10/11

    Realmente, você descreveu Veneza...
    A sensação de estar em um parque temático, tudo muito corrido, tudo muito caro e os turistas serem vistos como "apenas fonte de renda momentânea".
    Mas com tudo isso, Veneza é Veneza, quem nunca foi, tem que sentir ...mesmo que seja "tudo isso".
    Fui em 2009, estou indo novamente em 2011. Ficando poucos dias, mas não deixando de passar por Veneza. Agora mais preparada talvez... podendo ver de uma forma diferente...
    Parabéns pela sua postagem.
    Mara

    ResponderExcluir
  7. Adorei este post sobre Veneza fotos lindas mesmo, brevemente farei o meu, foi em que altura e ano?

    ResponderExcluir
  8. Oi Luffi. Foi no primeiro semestre de 2009. Aproveitei e dei um pulo no seu blog, bem bacana os posts de Praga e Viena, que visitei em 2010 e adorei tb!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo14/1/12

    Otimos comentarios!!! valeu!

    ResponderExcluir
  10. Pelo início do post senti que vc tinha gostado "em termos"....a exploraçãoa ot urista é o que mais irrita. Absurod ter que pagar para entrar nas igrejas...não sabia disso. Vamos ver o que eu irei encontrar...

    ResponderExcluir
  11. Olá Simone
    Venho aqui mais uma vez trocar experiências.
    Como te falei, tô indo pra Veneza e numa previsão otimista reservei 6 noites... depois de tudo que li sites afora, vi que exagerei e por isso vou incluir bate-voltas à Vicenza e Verona o que vc me diz disso? Conheceu essas cidades?
    em tempo: não sei se vc sabe, mas tem passagens de 9Euros da Trenitalia. Basta comprar com antecedência de uns dois meses.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Oi Jorge
    Acho que é bacana sim, visto que 6 dias inteiros para Veneza é bastante coisa! Uns 2-3 dias já são suficientes para conhecer os pontos principais.

    Quanto ao bate e volta é um ótima solução, mas não conheci estas cidades pessoalmente para lhe falar algo, só li a respeito.

    Mas não seria possivel você reservar em Veneza por menos noites, e aí ir para estas cidades e ficar lá por 1 dia inteiro? (dormir) Digo isso pq os hotéis em Veneza costumam ser superfaturados por ser cidade turistica demais, então deve achar melhores preços nestas outras cidades, além de não gastar com a passagem de volta de trem até Veneza.

    Passagem de trem e de avião: quanto mais antecedencia melhor, sempre! ;-) (ou "last minute deals", porém é arriscado).

    ResponderExcluir
  13. Simone
    Relendo o post, o meu comentário após a visita consigo ver tudo de maneira diferente. Achei as 6 noites para Veneza muito pouco. Ficaria até mais. a cidade pede calma e tranquilidade. Vale a epna andar, perder-se naquele labirinto de ruas. Amei Veneza. Fiz visitas à Giudeca, San Giorgio, Murano, Burano. Nem tive tempo de ir a todos os museus. Assisti uma ópera, mas não foi no La Fenice. enfim, voltarei com certeza e talvz fique o mesmo tempo. Consegui um hotel próximo à Estação Santa Lucia com ótimo preço. E os jardins em Santa elena, o parque da Bienal? Amei a cidade e fiz duas boas amizades por lá. Depois passe no blog e acmpanhe meus "causos".
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Olá Jorge, que bom que voltou para passar sua opinião! Viajar é isso mesmo, e cada um "sente" os lugares de uma forma diferente. Não há bom ou ruim, apenas momentos, agrados e desagrados. E certamente não dá para conhecer uma cidade em 2 dias, sempre tem mais coisa para ver, fazer, vivenciar... Cada experiência é unica, e fico feliz que tenha gostado tanto de lá e aproveitado! O texto é um pouco crítico, mas com certeza eu não acharia nada ruim voltar até Veneza! rsrs
    Abraços, e tô indo lá no seu blog dar uma olhada nas novidades e posts. ;-)

    ResponderExcluir
  15. concordo plenamente com tudo o que voce escreveu sobre a cidade, mesmo tudo, um retrato super real. Mas não sei tive sorte, eu fui em julho de 2010 no meu aniversário e claro, muitos turistas especialmente em São Marcos, mas nada de grandes filas de espera (10 minutos no máximo) e saindo daquela zona encontrei praças e palácios completamente VAZIOS só nos os 2 mesmo aquela imagem romantica da cidade. Por isso o meu conselho é sair de são marcos e Rialto e voce vais encontrar a cidade bem deserta mesmo. Quanto a comer não tem como escapar é para lá de caro. Em resumo adorei Veneza e dentro de 2 meses vou regressar levando toda a familia. Desta vez alugei um apartamento que acreditem sai bem mais barato e sempre dá para fazer uma comidinha no final do dia sem gastar um balurdio. Adorei este post parabens e espero uma visita no meu blog

    ResponderExcluir
  16. Anônimo11/11/12

    caro amigo, vc explicou tudinho! é exatamente isso. Parabéns, e quem não foi vá! quem já foi vá de novo, porque no mínimo quem esta em Veneza esta a um passo de:
    o melhor do leste europeu
    no mediterrâneo
    ao lado das dolomitas
    um tropeço dos alpes e da austria
    não longe da suíça
    no lindo norte italiano e em linha reta poucas horas de monaco
    tb pocas horas da alemanha
    e se poucas horas de monaco perto tb do sul frances

    Dai para Paris Londres e escandinávia, já vai mais longe, mas pode ser na sua próxima viagem.

    Ah tb não senti cheiro ruim nenhum, só para avisar os brasileiros desavisados. E Paris fede muito mais pelo que que sei.

    ResponderExcluir
  17. Anônimo9/4/13

    Sensacional esta matéria sobre Veneza. Parabens aos autores. Foram muito felizes na descrição dos detalhes sobre a cidade.

    ResponderExcluir
  18. Anônimo1/6/13

    Simone , Boa tarde !!

    Meu nome é MARCELO,
    QUAL CIDADE VOCÊ SUGERE FORA DA ITÁLIA PARA IR DE ROMA EM DOIS DIAS ??
    MENOS ATENAS OK, POIS JA VOU PARA LÁ.
    RESERVEI MUITOS DIAS EM ROMA ENTÃO QUERIA PEGAR UM TREM PARA ALGUMA CIDADE.

    ABRAÇOS !!

    ResponderExcluir
  19. Olá marcelo!

    Olha, se fosse eu (e como sugestão), indicaria ir até Nápoles, para comer uma pizza italiana original, sentir um pouco da bagunça da cidade, e de lá ir até Pompéia é claro, para visitar o sítio arqueológico. Este post do VnV explica direitinho um bate e volta para lá: http://www.viajenaviagem.com/2009/07/passo-a-passo-bate-volta-de-roma-a-pompeia-e-napoles/
    Ao sul de Roma tem uma área de praias muito linda também, se gosta pode pesquisar a respeito.
    E se vc quer algo fora da Itália mesmo (e de trem), para não perder muito tempo em deslocamento o ideal seria algo no sul da França (Nice, Monaco) ou no sul da suiça, visitando cidadezinhas super charmosas e até para ver mais de perto os Alpes. Mas o ideal seria se saísse de Veneza direto até estes locais. Logisticamente é bem mais perto.

    ResponderExcluir
  20. Super verdade, uma boa descrição realista de Veneza! Mas como fiquei hospedada em Veneza Mestre, consegui ter uma ideia do que é viver ali. Fora da parte ilhada, que é o centro histórico, há ônibus, carros, prédios com visual mais comum, mercadinhos... É uma cidade mais "real".

    ResponderExcluir
  21. Anônimo16/1/14

    Olá Simone,
    Fantástico o blog!!!

    Pretendo sair de férias (uns 10 - 13 dias) com meu namorado entre final de setembro e início de outubro, e queria sua opinião.
    1. Estou em dúvidas se vamos para o Reino Unido (onde faríamos Londres com certeza e de resto estava pensando em ir pra Escócia), ou para Itália. Nessa época do ano, qual seria mais agradável e que não teríamos tantos problemas com o tempo?
    2. Se acabarmos indo para Itália, estava pensando em fazer 4-5 dias em Roma (1 Pompéia --> volta e pára em Nápoles a tarde + 1 Vaticano), 4 dias em Florença (1 Pisa + 1 Bolonha), e se compensa fazer bate-volta pra Veneza.
    3. Se escolher Reino Unido, quanto tempo você acha que é preciso pra conhecer a Escócia? Tinha pensado em 4 dias em Londres, mas não cheguei a pensar no resto =/

    Obrigada!
    Tabata

    ResponderExcluir
  22. Obrigada Tabata!
    Bom, vamos as respostas:
    1- acredito que por ser outono nesta época, é bem provável que o Reino Unido já vai estar mais frio que na Itália, que é mais ao sul e clima mais ameno. Mas se o friozinho não lhe importa ou atrapalha tudo ok, é só escolher o que prefere entre as 2 opções!
    2- Parece bem distribuída a quantidade de dias por cidade, considerando os bate e volta internos que colocou
    3- Não conheço pessoalmente a Escócia, então não posso lhe responder neste sentido. Acredito que uns 3 dias para Edimburgo, mais uns 2 para explorar mais ao norte quem sabe....e Glasgow se tiver interesse

    Espero ter ajudado! Abraço
    Acompanhe o blog também pelo www.facebook.com/flashesdeviagem ;-)

    ResponderExcluir
  23. Já estive em Veneza duas vezes, com seus pontos negativos não deixa de ser uma cidade magica, com certeza que voltaria outras vezes. O Rio de Janeiro também conhecida como cidade maravilhosa, tem seus pontos fracos, (e muitos) mas nem por isso deixa de ser uma cidade magica também.Quando estamos passeando o melhor é desencanar e procurar ser feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, você está super certo, e também pensamos assim!!
      Não sou daquelas que acha que o ponto turístico tem que ser exclusivo para mim, mas quis relatar minha experiência na cidade, expor que apesar de linda e maravilhosa, tem tb este outro lado. O negócio é ir sabendo disso, e aí não se incomodar. ;-)
      Uma época achei que Veneza seria para ir uma vez só. Já fui 2, e agora passado um tempo tenho vontade de voltar novamente ainda!

      Excluir

emo-but-icon

Página inicial item

Pesquisar no blog

Loja Viagema

Reserve seu Hotel

Celular no Exterior

PARA QUEM AMA VIAJAR

RECEBA NOSSOS POSTS

Curta no Facebook

Leia Também