Loading...

Curiosidades de BUDAPESTE - Hungria

Descrevo aqui algumas curiosidades e peculiaridades que reparamos em nossa viagem até Budapeste. São apenas constatações sobre a cidade, e de situações diferentes ou similares as que temos aqui no Brasil. Através de pequenos detalhes como estes dá para entender uma parte do funcionamento da cidade e da cultura local.
 
 - Budapeste foi formada pela fusão de 2 cidades: Buda (margem direita do rio Danúbio) e Peste (margem esquerda). Ainda hoje cada lado do rio é chamado desta forma. O lado de Buda é uma região linda, montanhosa, residencial e onde se encontra o bairro do Castelo. Peste é o centro da cidade, portanto bem urbano e comercial, onde se concentram a maioria dos hotéis e quase todos os outros pontos turísticos.

- fazendo jus ao título da famosa valsa de Strauss (Danúbio Azul), o Rio Danúbio estava realmente azul, e em algumas fotos ele quase se confunde ao céu! Outra coisa que surpreendeu foi a largura total do rio, que é muito grande. Deu impressão de ser igual ao do Rio Tâmisa de Londres.

  cor do rio quase igual a cor do céu!

Vista do pôr-do-sol no rio Danúbio a partir da Ponte das Correntes

- Os banhos termais são um clássico nesta cidade. Existem dezenas de spas e de piscinas térmicas naturais, que são abertas ao público, com diversos “pacotes” e tarifas diferentes, conforme o tempo que irá ficar no local e quais piscinas e serviços irá utilizar. Funcionam desde cedo até à noite, por volta das 22h. É uma experiência deliciosa, relaxante e imperdível! (conto em detalhes num próximo post)
termas Szechenyi de dia...  
... e de noite, ainda cheia

- A Hungria faz parte da Comunidade Européia porém ainda não aderiu ao Euro, com previsão para 2012 ou após. Por enquanto a moeda oficial é o Forint (HUF- Hungarian Forint), em que 1 Forint equivale a +-R$ 0,0082. Ou seja: R$8 são quase 1000 Forints! É um pouco assustador sacar dinheiro ou pagar despesas mais altas como as de hotel, em valores como 10mil ou 30 mil.
  10.000 na mão!

- a calçada ao longo da margem do rio Danúbio é “dividida” em 2 partes: uma para pedestres e outras para bicicletas, devidamente sinalizadas através de desenhos no chão. Os pedestres devem andar mais perto da mureta, assim podem parar, ficar apreciando o rio e tirando fotos. As bikes mais perto da rua. Cada um se mantém na sua “área”, caso contrário os ciclistas vão soando a buzininha e avisando os distraídos educadamente.

 Olha a área para pedestres demarcada no chão!

- achei muito estranho ver produtos de limpeza nas vitrines das lojas, e é super comum por lá. Tem uma vitrine ou janelão inteiro de vidro, e eles colocam os produtos ali, montando uma escadinha para apoiá-los e permitir expor mais coisas. É como a vitrine de uma perfumaria ou loja de objetos de decoração, só que com produtos de limpeza!

- existem espalhadas pela cidade algumas bancas que vendem frutas, verduras e legumes, similares a uma banca de feira. Existem também vendedores mais simples, que expõem algum legume específico em cima de caixotes de madeira para vender. Na frente do nosso hotel tinha uma destas bancas, que inclusive funcionava 24h! Vai que o sujeito precisa comprar um tomate às 4 da manhã! ;-)

  Banca funcionando em plena madrugada!

- os habitantes são cordiais, de modo geral sorridentes e sabem falar inglês, mesmo em cargos mais simples como atendentes de lojas e lanchonetes. Encontramos uma única menina que não sabia falar nada, e que chamou um colega para ajudar no atendimento.
 
- Como as ruas e avenidas são super largas, existem muitas passagens subterrâneas para cruzá-las, facilitando a vida do povo que não precisa ficar esperando para passar (mas tem que encarar 2 lances de escada). O nativo de Budapeste vai por baixo tranqüilamente, o turista tem preguiça e tenta atravessar por cima mesmo.
típica entrada de metrô e similar aquelas p/ atravessar a rua


- Sinais de trânsito: como em boa parte da Europa, é tudo muito civilizado. Quando o sinal está aberto para os carros NENHUM pedestre atravessa, mesmo que não esteja vindo nada de carro por centenas de metros ou até onde a vista alcança. Eles esperam, com calma. Em contrapartida, quando um pedestre desce da calçada e põe o pé na rua os carros param para ele atravessar (nas ruas sem sinal ou com faixa no chão). Já se o pedestre está atravessando quando não deve os motoristas são mais impacientes, não diminuem muito e buzinam. Só quem faz isso são turistas, ou alguns jovens e adolescentes mais destemidos.
 
- Em alguns locais existem sinais de trânsito específicos para as bicicletas. Fica abaixo do sinal de pedestres, no ângulo de visão dos ciclistas.  

 - A população de Budapeste não é muito miscigenada, e de forma geral há poucos turistas na cidade. Brasileiros zero Retificando para não gerar mais "polêmica": quis dizer que não vimos nenhum brasileiro durante os 3 dias que estivemos lá! (diferente da Itália ou Portugal e Espanha, em que é fácil encontrar brazucas em qualquer época do ano). É um povo de porte alto, pele clara, olhos claros e cabelo também. Além das loiras, notamos também cabelos ruivos ou avermelhados. Eu e meu marido (que é descendente de oriental), temos cabelos e olhos castanhos escuros, e éramos de certa forma bem observados ao andar pelas ruas. Sensação de que notam facilmente que somos estrangeiros.

- como viajamos no Outono e estava friozinho, vimos que muitos restaurantes disponibilizam mantas para os clientes que optam por sentar do lado de fora. Em cada cadeira das mesas externas tem uma mantinha colorida (que em geral combina com a decoração do restaurante), que o cliente deixa ali no encosto para proteger as costas ou coloca sob o colo se estiver com frio nas pernas. Idéia simples, charmosa e eficiente!



- Em vários museus e atrações é preciso PAGAR para tirar fotografia! Para isso, na hora de comprar o bilhete é preciso pedir também o “photo ticket” (não é caro). Com ele, te dão um bilhete de cor diferente ou um selinho ou algo parecido para colar na roupa, e aí você pode sair fotografando a parte interna à vontade. Eles conferem se você tem ou não, pois tentamos fotografar uma sala e vieram nos alertar que não era permitido pois não tínhamos este benefício. 

- bastante gente possui cachorro, que quase sempre se enquadra em uma das 2 categorias: vira-lata ou da raça West-Highland-White-Terrier (aquele cachorrinho branquinho que estrelava a propaganda do IG, lembram?). É muito popular por lá mesmo!   

- jornais são vendidos na rua, em estruturas que mais parecem um saco de plástico grosso e transparente, que fica pendurado nos postes. Você coloca a moedinha e abre para retirar seu jornal. Precisa dizer que não funcionaria no Brasil? (é facílimo de cortar com tesoura ou estilete)

- em ruas estreitas, a faixa limite para estacionar os carros fica metade na rua e metade na calçada! Assim é possível estacionar sem bloquear demais a pista. Ótima solução, que privilegia o motorista que precisa parar na região, sem prejudicar o pedestre, pois ainda sobra um bom espaço de calçada.

  faixa para estacioan: metade na rua e metade na calçada!

- Existem mendigos pela cidade, em geral no hall subterrâneo que dá acesso ao metrô, pois é mais quente e protegido. À noite eles estendem papelão no chão e dormem por ali. Não ficam pedindo dinheiro insistentemente, só ficam ali parados.

- em Budapeste se encontra a maior Sinagoga de toda a Europa. Ela pode ser visitada internamente, e em anexo se encontra o Museu Judaico, um cemitério Judaico e um jardim. Para adentrar a sinagoga os homens devem colocar temporariamente um kippa que é fornecido na entrada (aquele “chapeuzinho” circular típico dos judeus, que cobre o alto da cabeça). O chapéu é usado como forma de mostrar a submissão e respeito a Deus. Dentro da Sinagoga, achei curiosos os bancos de madeira cujo assento se levanta (como as carteiras escolares antigas) e também o espaço na frente da pessoa, que se parece com uma escrivaninha com portinha que abre e dá para guardar os pertences ali (bolsa, blusa, guarda-chuva). Bom exemplo de design!


  
- adoram pimenta, que lá se chama PÁPRIKA. No mercado municipal tem aos montes. Além da pimenta “in natura” tem também molhos, geléias e muitas outras especialidades feitas com ela. Por este motivo também tem muito souvenir em formato de pimenta, e até comprei uma de cerâmica, e que vinha com a pimenta em pó dentro. Ficou linda decorando a cozinha.

- a estação principal de trem (que parte para cidades como Viena e Praga) tem um ar meio antigo. Para comprar um bilhete deve-se ir numa sala muito esquisita, cheia de pilares de madeira, e com os atendentes dentro de cabines de madeira com visor de vidro na frente, bem retrô. O atendimento é muito demorado (talvez por que fosse hora de almoço), deve-se pegar uma senha e ficar esperando. Demorou mais de 1h para nos chamarem, portanto compre com antecedência e não em cima do horário do trem sair.

 
- os arredores da cidade, no caminho entre aeroporto e centro, possuem edifícios muito parecidos com os do Brasil. Não são altos, mais se parecem com prédios de bairros residenciais, de arquitetura mais reta, em 2 cores e com sacadas para fora. Os outdoors e fachadas das lojas também são parecidos com os daqui. Cada loja põe a sua logomarca como quiser, não tem um padrão definido como em outras cidades da Europa. São placas penduradas para fora mesmo, em diversos padrões e tamanhos, bagunçado e meio poluído visualmente como aqui.

- os orelhões de rua também ficam em cabines fechadas e envidraçadas, como as de Londres, só que de outras cores.
 
 - em alguns prédios antigos, haviam placas de sinalização colada na fachada, com o desenho de uma parede em ruínas desmoronando. Serve para alertar as pessoas, mas é estranho passar ao lado e imaginar que está em risco de cair. Na dúvida, eu me afastava da parede para garantir! OBS: não eram prédios decadentes e em mal estado, apenas antigos.

- o idioma húngaro é um dos mais difíceis do mundo, e quando a gente ouve não dá para entender nada, nem ter a mínima idéia do assunto. Li que o alfabeto é formado por 14 vogais (!!) e 27 consoantes. Se não me engano o Chico Buarque até escreveu (em seu livro Budapeste), que de tão difícil é “única língua que o diabo respeita”. 

- o metrô é sub-sub-subterrâneo! Ou seja, é muito para baixo da terra, deve equivaler a 2 ou 3 andares no mínimo. As escadas rolantes são muito compridas e íngremes, ao descer parece que estamos indo para o centro da terra, pois não dá nem para ver direito o final da escada!

E mais:
Siga o blog no Facebook
Acompanhe as fotos no Instagram


Hungria 4892419998631438190

Postar um comentário

  1. Adorei o post!!!!
    Essa escada rolante dá até vertigem hein?
    Mas as características que eu mais gostei foram as bikes com lugar definido e até semáforo, os vira latas, os bares com as mantas e belíssimo vídeo com o entardecer.
    Agora Budapeste entrou para a minha meeega lista! haha

    ResponderExcluir
  2. Oi Natália! Pode colocar na sua lista assim, vale muito a pena!
    Entre Praga, Budapeste e Viena, foi a cidade que teve as vistas que mais me impressionaram, a parte do rio e do Castelo é de cair o queixo e grudar na memória!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo13/8/11

    Retificando o texto acima : Toda sinagoga é judaica .

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que era redundante. Vivendo e aprendendo! Retirei a palavra Judaico após Sinagoga. Obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Vitória Kalocsay19/5/12

    meu avo era hungaro e eu sempre quis saber como era Budapeste! Adorei, fiz um passeio virtual

    ResponderExcluir
  6. Que legal Vitória, fico contente que o blog lhe proporcionou esta "viagem virtual"! Quem sabe um dia você ainda não vai lá e confere tudo ao vivo hein! ;-)

    ResponderExcluir
  7. Adorei o blog. Está me ajudando muito na preparação da minha viagem que será em novembro! Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso post, impressionante como tem belos lugares para se conhecer tirando as cidades mais famosas como londres e paris!
    Nunca sai do brasil, preciso conhecer a Europa e esse post me deixou ainda com mais vontade!

    ResponderExcluir
  9. Legal saber que ficou motivado por causa deste post Carlos!

    Fui com baixas expectativas para Budapeste, e eis que a cidade me surpreendeu! Se for a Europa vale a pena conhecer cidades menores ou não tão conhecidas sim, para sentir o charme e ver um pouquinho do modo de vida e peculiaridades de cada uma delas.

    ResponderExcluir
  10. Anônimo11/12/12

    Oi.Meu nome e Gisele e discordo de ti,quando disse q brasileiros Zero..
    Eu vivo em Budapeste a 3 anos sou casada com um hungaro a 6 anos e tenho um filho hungaro. Tenho MUITOS amigos e amigas brasileiros,amigas brasileiras que tambem sao casadas com hungaros e tambem tem seus filhinhos hungaros.E no verao a cidade lota.e sempre encontramos brasileiros passeando por aqui.
    e uma correcao a moeda nao se chama Florim nem Florint e sim FORINT..
    e tu nao falou nada do idioma daqui q por sinal e um dos mais dificeis do mundo.(ainda estou aprendendo)
    no mais tu descreveu a cidade como ela e ,LINDA,realmente vale a pena a visita ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo26/2/15

      Gisele, meu nome é Josinéia.
      Gostaria de saber qual o mês de verão no país. É na mesma época daqui do Brasil?
      Pois quero ir em Julho/2015

      Excluir
    2. julho é verão em toda Europa sim Josinéia. O clima lá é o inverso do nosso, ou seja: quando aqui é inverno lá é verão. A vantagem é o calor e dias longos, anoitecendo quase 10 horas da noite em alguns locais. A desvantagem é que por ser alta estação os lugares ficam mais cheios e os preços um pouco mais caros, pois os europeus também viajam muito entre as cidades/países nesta época.

      Excluir
    3. Anônimo27/2/15

      Simone, conhece algum site que me informe tudo, ou quase tudo, sobre o país?
      Gostaria de estudar música lá! Sou violinista e gostaria de expandir meu conhecimento e me aprimorar! Aqui no Brasil é fraco!

      Excluir
    4. Dei uma procurada råpida e achei estas referencias aqui, que parecem ser boas e com muita informação, mas são todos em inglês, pois é difícil informaçào completa sobre a Hungria em sites daqui (e de qualquer forma, se pretende estudar lá o mínimo seria saber inglês né, senão não tem nem como!) ;-)









      Excluir
    5. Links:
      http://www.topuniversities.com/where-to-study/europe/hungary/guide#tab=0

      http://gotohungary.com/

      http://www.budapest.com



      Excluir
  11. Olá Gisele! Que bacana morar aí, é um dos lugares que eu adorei conhecer, e acho que seria interessante de se viver.

    Pois então... fiquei em dúvida sobre o nome da moeda, pois aparecia como Florim no conversor de moedas de um banco (e no google, se buscar por "moeda hungria") e como Forint no outro. Vou corrigir ali no texto, obrigada!

    Quanto aos brasileiros, foi minha impressão, pois estivemos em Budapeste bem fora de temporada (outono), e não tinha excesso de turistas (na região do Castelo mais, só que ainda assim estava longe de estar cheio). Mas com certeza tem brasileiros que visitam a cidade e/ou moram por aí, mas é bem diferente de ir para cidades da Itália ou para Lisboa, onde em qualquer época sempre se ouve muitos brasileiros, e por todos os lugares.

    Gostei da sugestão do idioma, é bem verdade. Chico Buarque no livro Budapeste até escreve que é uma língua tão difícil "que até o diabo respeita"! (ou algo assim) ;-) Vou adicionar isso ao texto.

    Abraço, e volte mais vezes para ver outros posts!

    ResponderExcluir
  12. Olá gostei muito do seublog mas infelizmente devo descordar de banstante coisas...
    Brasileiros 0? tem gente aqui a mais de 20 anos... a língua húngara não é tao difícil de se aprender por ser aglutinante por isso com o passar do tempo todas as palavras tornam-se praticamente obvias. te aconselho a voltar no verão. pelo menos pra um dos maiores eventos da Europa chamada "Sziget Fesztivál" (Festival da Ilha) que chega a ter mais de 400 000 pessoas. Não esqueça de mencionar os cachorros húngaros que são mundialmente conhecidos - puli, pumi, Komondor, viszla etc e a diferença enorme que existe (nao só financeira) entre Buda e Peste. Não diria que os Húngaros sejam pessoas de olhos e cabelos claros e sim pelo contrário, a maioria tem cabelos castanhos e olhos castanhos por serem descendentes distantes dos turcos. Procure ver a história do Imperio austrohúngaro para entender um pouco mais. Boa sorte!

    ResponderExcluir
  13. Obrigada por adicionar informação e pela dica do festival Chrystian!

    Só ressaltando que estive lá por poucos dias e como turista, minha intenção não é fazer um tratado sobre a cidade, pois certamente não tenho "cacife" para tal. A idéia do post era passar alguns tópicos que notei e achei curioso ao visitar. Certamente quem mora no local pode ter uma percepção diferente de alguns aspectos(já expliquei a questão dos brasileiros acima). De qq forma acho interessante e curioso ficar sabendo ainda mais, valeu!

    só me assustei sobre a info dos cabelos/olhos que relatou, pois vimos mesmo muita gente CLARA por lá! Não digo loiro amarelo, mas cabelo castanho claro, e olhos tb... só se estou confundindo com Praga que fomos em seguida então! ou as regiões que fui estavam cheias de turistas somente, e achei que eram "nativos"! rsrs);-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo8/2/15

      Simone
      Sou brasileira, mas estudei inglês em Budapest por três meses e já estive no país por três vezes - sou apaixonada pelo país! Por lá existe até uma comunidade de brasileiros, mas só tive contato com uma brasileira que hoje não mora lá também.
      Realmente os húngaros não são loiros, mas possuem uma pele branca e cabelos escuro (castanho escuro), muitos húngaros me confundiam com nativos!
      A língua húnagara/ magyar não é fácil mesmo e muitos húngaros não falam inglês, você deu sorte na sua viagem! Porém são muito simpáticos, considerando o padrão europeu. ;)
      Queria deixar aqui algumas dicas..
      O verão em Budapest é incrível, realmente há vários festivais de verão - vale muito a pena ir nessa época! A cidade muda completamente nas estações mais quentes, se você viu alguns bares nas ruas no outono, pode acreditar eles triplicam nas estações mais quentes.
      Para quem gosta de balada ou quer conhecer um lugar diferente vale a pena conhecer o Szimpla Kert - um pub ruína, que em Budapest fica no bairro judeu!
      A ilha Margarida (Margitsziget) é incrível, no verão há alguns restaurantes por lá e muita gente deitada pela grama para tomar sol.. fazer piquenique, se refrescar nas fontes ou até mesmo aproveitar a terma que tem dentro da ilha.
      Há uma outra ilhota mais ao sul da cidade linda também, que tem vários restaurantes!
      Outro dica que acho super importante é que como a Hungria não faz parte de União Europeia estudar inglês ou qualquer outra língua na cidade é super barato, porém conseguir o visto para ficar mais três meses é super difícil, por isso fiquei apenas três meses. Eu estudei na escola IH (International House) e adorei, mas minha irmã mais nova chegou a estudar numa faculdade na cidade.. e minha irmã mais velha, que é quem mora lá de verdade fez inglês, húngaro e alemão. Vale a pena para quem quer fazer intercambio, mas tem pouco dinheiro para gastar entre curso, moradia etc.
      Outra coisa, as termas são incríveis, seja qual for, porque há várias pela cidade, alias pelo país inteiro! A experiência de morar lá e frequentar as termas assim como os nativos é incrível, por isso digo quem estiver na cidade seja no frio ou no calor vá a uma terma!
      Para quem estiver de carro e com tempo para conhecer outros lugares recomendo muito conhecer o lago Balaton.. acho que é um dos maiores lagos da Hungria e o lago de água quente Hévíz (http://usenatureza.com/blog/2014/09/lago-heviz-maior-lago-termal-da-europa/).
      Espero ter ajudado.. :)
      Beijos
      Gisela

      Excluir
    2. Que bacana, obrigadaor por compartilhar informações aqui conosco Gisela! ;-)

      Excluir
  14. Oi Simone,
    Gostei muito da forma que voce descreveu esta linda cidade da Europa, para mim uma das mais bonitas cidades daqui.
    Eu também moro aqui já faz um tempinho, concordo com a descricao da língua e acho que Chico Buarque estava certo. Estou aprendendo o idioma, já até falo um pouco mas é realmente difícil.
    Caso voces venham outra vez por aqui vamos ver se podemos marcar uma festinha brazuca :-)
    As vezes eu penso que tem brasileiro que nao gosta de ser reconhecido fora do Brasil :-( falo de experience propria.
    De qualquer forma sua percepcao da cidade foi bem acertiva.
    Grande abraco!

    ResponderExcluir
  15. Nossa, pelo jeito tem bastante brasileiro que mora em Budapeste, foram 3 comentários seguidos! :-) Obrigada Fabrício, e volte mais vezes ao blog para ler outros posts! (agora vai demorar para voltarmos aí, temos outros planejamentos de vida e viagens)

    Embora conheça outras capitais e cidadezinhas na Europa, eu me encantei com a cidade, achei a região do castelo de Buda e a urbanização ao longo de parte do Rio Danúbio linda demais! Uma das imagens de viagem mais bonitas que tenho em mente é o Parlamento de Budapeste de frente para o rio...

    Em Peste também, vários edifícios e praças grandiosas, muito bacana, é uma cidade que merece ser visitada sem sombra de dúvidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo12/12/12

      Ola Simone, eu tb moro em Budapest a mais de 4 anos, minha familia eh hungara, incluindo meu marido. Sua descricao foi boa e acho que deu possibilidade de nos que estamos aqui, adicionarmos mais detalhes para que seja uma alternativa de informacoes para quem vem para ca. Idioma: nao eh facil mas nao impossivel, tanto Fabricio como Chys estao certos, eu ja tinha nocao do idioma no Brasil, pois,meus pais falavam hungaro, mas qdo cheguei aqui vi que eu nao sei nada, nos primeiros 2 anos vc sofre, mas no terceiro em diante, as palavras ficam mais faceis, e vc automaticamente comeca a entender e falar. O importante para,aprender eh tentar so falar em hungaro, sem alternativas se,aprende. Os brasileiros que moram na Hungria sao simpaticos e amigos. Pode- se dizer que sao divididos em grupos, porem muitos conhecem quase todos, e vivem em harmonia. Turistas nos temos muitos, o ano inteiro. Os caes nao sao vira- latas, muitos sao de racas que desconhecemos no Brasil. E os caes sao muito bem cuidados aqui. Hoje consideramos Budapest uma unica cidade dividida pelo Danubio, as divisoes de regioes chamamos de zonas que sao marcadas por nomes e numeros. Por exemplo moro em Buda na zona 3, dentro da cidade de Budapest. O Forint, pelo visto petmanecera por algum tempo, nao existe previsao para euro. Isso seria um tema a parte. Os hungaros nao sao sempre loiros, a descricao do Chrys eh a exata. Muitos falam ingles na cidade, no interior poucos. Sobre o transito, realmente funciona bem, mas recomendo que observem bem antes de atravessar uma rua.... pois nem sempre funciona a faixa de pedestres, e sem contar os vilamos pequenos trens que atravessam a cidade toda. A paprika eh bem usada sim, geleia nao tem dela nao ;) tem pasta de paprika usada nos pratos tipicos hungaros....
      Voces nao falaram sobre a gastronomia, eh muito boa.
      Simone venha com mais tempo Budapest eh muito rica para 3 dias, acredito que nao tiveram tempo para ir em todos os pontos especiais da cidade, os teatros, as casas de show....
      E nos avise qdo vier!

      Excluir
  16. Ei "anônimo" do comentário acima... vc não colocou seu nome no final! ;-) De qq forma obrigada, é sempre legal adquirir mais conhecimento sobre outras culturas e formas de viver! Interessante saber que existem algumas "comunidades brasileiras" que se relacionam aí.

    Uma pergunta: é bom morar em Budapeste? (qualidade de vida no dia a dia) Brasileiros conseguem empregos em sua área de formação/atuação? Pois tem países bem fechados neste sentido, para justamente evitar imigração em massa.

    O mais curioso de tudo foi descobrir e ver se manifestar tantos brasileiros que moram em Budapeste, é dificil isso acontecer!! (pois o blog atinge outros países porém bem mais o Brasil é claro- a maioria que comenta é brasileiro que está indo viajar)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo8/2/15

      Simone
      Acho que os brasileiros que moram em Buadpest (Hungria) amam tanto a cidade, que não tem como não falar sobre essa cidade, país! :)
      Eu entrei no seu blog para ler sobre a Itália, minha próxima parada, mas quando vi um post de Budapest.. ahahaha.. resolvi ler para matar a saudade e deixar minha opinião também!
      Eu amo esse lugar, amo!
      Beijos Gisela

      Excluir
  17. Anônimo12/12/12

    Oi Simone, meu nome é Sisi.
    Aqui na Hungria os brasileiros mantem mais contato entre si que nos muitos paises, nao sei se é pq a comunidade nao é grande, ou apenas pq sao unidos.
    Quanto viver na Hungria é um assunto complexo, depende muito da condicao que se vem, e do que ser fazer. A situacao economica esta complicada como na maioria da Europa, porem existem alguns agravantes, problemas politicos.... Empregos no momento sao poucos, e muito concorridos, pois o mercado esta cheio de pessoas a procura de emprego. O custo de vida nao é barato, isso tb depende da renda mensal. Existem gastos extras que aumentam no frio, e o frio aqui pode durar mais de 6 meses.... Eu recomendo a todos que planejam vir para ca morar, que pensem, se informem, e analisem as circunstancias, pois o pais é lindo, convidativo, mas dificuldades existem como em qualquer parte do mundo. Este sonho de que na Europa tudo é perfeito e lindo esta bem longe da realidade.

    ResponderExcluir
  18. Obrigada pela info Sisi!
    Com certeza antes de decidir morar em um país tem que avaliar muito bem, pois por melhor que seja a condição em geral, sempre tem que lidar com situações diferentes das que estamos acostumados, e o dia a dia na prática não é um conto de fadas, com certeza é diferente de quando vamos para "turistar" e vemos só os locais bacanas!

    ResponderExcluir
  19. Anônimo15/8/13

    adorei!!!

    otimo blog!!!continue postando suas experiencias!!!!

    um bjo...carol(S.P.)

    ResponderExcluir
  20. Super Obrigada Carol!!
    Já que curtiu, aproveite e siga o blog tb pelo FB => www.facebook.com/flashesdeviagem

    Te vejo por lá! ;-)

    ResponderExcluir
  21. Olá, Simone! Foi muito legal saber que as pessoas em Budapeste são cordiais e falam inglês. É tudo que minha irmã precisa, vai passar um ano estudando lá e achava que as pessoas de Budapeste falariam o inglês que as pessoas de Salvador/Ba "falam". Agora ela vai ficar mais aliviada!

    ResponderExcluir
  22. Bom dia, Simone! Achei teu blog pelo Google e gostei muito do teu relato! Achei as fotos e as descrições muito belas! Bom, gostaria de saber como foi sua troca de moeda... Você por acaso comprou com real diretamente o Forint ou comprou euros para trocar por Forint? Porque pelo que pude perceber, nossa moeda é MUITO valorizada quando comparada a deles; então gostaria de saber se vale mais a pena trocar nosso dinheiro pelo Forint (por ser mais barato e se é muito utilizado - pra não ter que passar nenhum aperto de ter que pagar algo com Euro) ou o Euro. Desde já agradeço e uma boa semana ;)

    ResponderExcluir
  23. Obrigada Agnes! Para pagar as coisas por lá, vc tem que ter Forint em mãos, é a moeda oficial e praticamente não aceitam euros mesmo (só vi aceitarem, fazendo conversão para mais, na feirinha de artesanato que ocorria lá no alto do castelo de Buda).
    Quanto a conversão, se quer trocar em casas de cambio sugiro que leve dólares ou euros, pq pode ser dificil e raro achar locais que aceitem o Real brasileiro. Mesmo nos aeroportos (cambio), quase não se vê a aceitação de reais para troca (digo isso não somente em relação a Budapeste, mas no mundo todo quase - nos lugares que a gente viu/reparou). Isso porque na verdade a gente raramente troca $ em casas de cambio, acho que se gasta mais tempo para achar uma, e normalmente se perde mais com as taxas + a conversão da agencia. O que fazemos é levar nosso cartão de crédito (habilitado para uso internacional, ligar para o numero atras do cartão e pedir) e sacar nos caixas eletrônicos, na moeda local

    ResponderExcluir
  24. Vc vai nos caixas eletronicos com as "bandeiras" da mesma rede que a sua (ex: Visa, Mastercard), coloca o menu em inglês e pede pela opção de saque da sua conta corrente (ou mesmo do cartão de crédito). Vc digita quanto quer da moeda local, e o dinheiro sai, pagando a cotação do seu banco na época. Obs: grande parte dos caixas eletronicos cobra uma taxinha para retirada, então é bom calcular e tirar um montante maior de uma vez só, do que ficar indo ao banco tirar várias vezes e pagar este valor a cada hora. Os caixas se encontram nas calcadas das ruas, dentro de bancos, shoppings, supermercados, aeroportos... Vc escolhe!
    "saque" de $ em inglês escreve "cash withdrawal", ou somente "withdrawal". Procure por esta opção no menu eletronico.

    ResponderExcluir
  25. Muito obrigada pela ajuda, Simone!

    ResponderExcluir
  26. Anônimo1/3/14

    este blog ajudou me muito na preparação de um trabalho oral de português. obrigado.

    ResponderExcluir
  27. Valeu, Simone. Consegui viajar sem sair do Brasil. Gostei muito da forma simpática com que escreve seus textos.

    ResponderExcluir
  28. Obrigada Lino! Tem outros posts de curiosidades no blog também, como o de Praga ou da Africa do Sul. Dá uma pesquisada colocando a palavra chave na caixa de busca e "viaje" por lá tb!
    ;-)

    ResponderExcluir
  29. ola Simone, goatei muito do blog, eu estou com uma proposta de emprego em budapeste tenho esposa e filha pequena de 3 anos, tenho um certo receio em relação ao custo de vida ai comidas transporte (valores) pois nao vi isso no seu blog.. em outros blogs que visitei as pessoas falaram quase que o oposto ao que vc falou que os hungaros sao extremamentes fechados etc.. fiquei na duvida se puder me dar essa ajuda agradeço

    ResponderExcluir
  30. Oi Albertch
    Quanto ao custo de vida, é mais barato do que nos outros países de moeda euro.
    Sobre as pessoas, tive boas experiencias e achei simpáticos, mas lembrando que todo europeu ao se comparar com brasileiros não é tão sorridente é claro! Simpatia não quer dizer extroversão e sorrisos, eu interpreto também como gentileza e prestatividade.

    ResponderExcluir
  31. Anônimo9/10/14

    NM :Outubro,2014 .
    Visitei o Leste Europeu entre Viena ( Wien- Áustria) ,Bratislava ( Eslováquia ) ,Praga ( Praha-Republica Tcheca) ,Cracóvia antiga capital e Varsóvia a atual capital da Polonia a mais inesquecível pelo visual da colina de Buda com o Castelo de Buda Bastião dos Pescadores ,o rio Danúbio que é azul lindão ,a ponte Chain Bridge dos leões que rugem quando passa uma virgem ( explicação do guia vienense ) o Parlamento ( em Peste) visto de longe ou de perto .Em fim, vale os euros que trocamos no caixa. Atenção com roubos ao saírem das casas de cambio ( cash exange )

    ResponderExcluir
  32. Anônimo25/2/15

    Achei maravilhoso esse lugar descrito por vc, brasileira! Tive curiosidade pelo país depois de saber que meu pianista favorito, Havasi, é Hungaro!
    Quero muito conhecer esse lugar e de quebra meu amor, logico, Balazs Havasi! RsRs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo26/2/15

      Ah, meu nome é Josinéia!

      Excluir
  33. Boa Noite como vc fez pra levar dinheiro levou Real ou euro pra trocar lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raramente usamos casas de cambio. Sempre trocamos um pouquinho de dinheiro antes de sair, mas neste caso como era moeda diferente do euro nem isto fizemos. Levamos cartão de credito habilitado para uso internacional (ligar no Visa/Mastercard avisando da viagem) e o que mais fazemos é sacar nos caixas eletrônicos com o cartão, pois o dinheiro sai na moeda local. (tem taxa de uso, por isso não dá para ficar sacando toda hora) Foi assim que fizemos.

      Excluir
  34. Oi Simone, eu sou um profundo admirador da Hungria. Até a pouco tempo não sabia nada sobre esse país. De outubro para cá, com varias pesquisas a respeito da cultura, pontos turisticos, idioma, entre outras muitas coisas, fiquei realmente apaixonado pela Hungria. Hoje tenho um enorme interesse de conhecer, inclusive economizando para isso. Porém, gostaria que me respondesse uma pergunta que nunca informam precisamente em outros blogs. Quanto eu devo levar se passar um mês em Budapeste? Ou pelo menos me dizer qual o valor médio das refeições, diarias do hotel...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá João! Que bom seu interesse, acho que não vai se decepcionar.
      Sobre a sua pergunta, acredito que os blogs não respondam objetivamente justamente porque não existe uma resposta precisa para isto, depende muito de você, do seu estilo de viajar, de comer, que tipo de hospedagem, etc...
      As perguntas mais dificeis (e impossíveis) são realmente essas: "quanto gasto em x dias em tal lugar?", hehehe. Impossível dizer.

      Para pesquisar preços de hotéis e hospedagens sugiro que acesse o www.booking.com.br, para ter uma estimativa ao menos. Se pretende ficar em albergues, em quartos com várias outras pessoas, procure no Hostelworld. Costuma ser mais barato que hotel.
      E sobre comida, pelo menos em Budapeste espere pagar preços similares aos daqui do Brasil, em restaurantes medianos. Por exemplo, um menu do dia em restaurantes deve ser uns 8 a 10 euros, se der sorte acha algum por 6... Budapeste é mais em conta que outras capitais da Europa, e nossa moeda lá é bem cotada.

      Excluir
    2. Muito Obrigado por responder. Vou tentar viver de forma mais simples possível. Realmente é complicado responder essa minha pergunta.A alimentação não parece ser tão cara. Pesquisarei nesses sites que me sugeriste hoteis e albergues. Muito obrigado mesmo, quem sabe ano que vem estarei curtindo minhas ferias na Hungria :D
      Ah... Adoro suas postagens :D

      Excluir
    3. Obrigada, e que bom que ajudei um pouco. Só lembrando que a moeda lá não é o euro, só coloquei como referencia e por ser mais conhecida e fácil de calcular.
      Lembre tb de incluir custo diário de transporte (nem que seja 1-2 tickets metro) e para atrações pagas, como alguns museus por exemplo.

      Excluir
  35. OLá , parabens pleo Blog . Estou indo a budapeste com esposa e filho de 16 anos. Pergunto: Há restrições para ele entrar em bares por exemplo? beber só com 18 memso...mas pode entrar ou corre o risco de barrarem ele?

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, pergunta bem específica! Não consigo lhe ajudar/responder!
      Acho que depende muito do tipo e das regras do bar, se for tipo danceteria talvez não entre mesmo, mas se for barzinho/restaurante do estilo sentar e beber/comer, aí acho que sim. Só tentando! rs

      Excluir

emo-but-icon

Página inicial item

Pesquisar no blog

Reserve seu Hotel

Celular no Exterior

RECEBA NOSSOS POSTS

Loja Viagema

Curta no Facebook

Leia Também